De acordo com dados da Junta Comercial de Goiás (Juceg), Goiás registrou 3.596 novas empresas em abril de 2024. O número é 38% maior do que o registrado em abril do ano passado, quando foram abertos 2.604 novos negócios.

Até o momento, já foram criados quase 14 mil novos negócios em 2024. Desse total, 585 são empresas com capital social superior a R$ 500 mil. Goiânia, Aparecida de Goiânia e Anápolis são os municípios que mais concentram empresas no estado. Os microempreendedores individuais (MEIs) não entram nessa conta.

Na liderança do ranking estão serviços combinados de escritório e apoio administrativo, promoção de vendas, treinamento em desenvolvimento profissional e gerencial. Em seguida vêm a preparação de documentos e serviços especializados de apoio administrativo, além das atividades de consultoria em gestão empresarial (exceto consultoria técnica específica).

Líder

De acordo com o ranking da Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (Redesim), Goiás foi o estado que mais abriu empresas em abril, entre todos os estados das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

O Ceará aparece em segundo lugar, com 2.996 novas empresas, seguido por Mato Grosso, com 2.434 novas constituições. Ainda segundo os dados da Redesim, o tempo médio para abertura de empresas em Goiás é menor que a média nacional: 20 horas (Goiás) contra 28 horas (Brasil).

O presidente da Junta Comercial do Estado de Goiás (Juceg), Euclides Barbosa Siqueira, destaca que a economia do estado tem demonstrado números favoráveis nos últimos anos, o que tem estimulado a criação de novos empreendimentos. Além disso, o governo estadual tem implementado políticas de estímulo ao empreendedorismo, simplificando o processo de abertura e regularização de empresas.

“Outro aspecto importante a se mencionar é o crescimento do setor de tecnologia, que tem atraído investimentos e impulsionado o surgimento de startups. Esses são apenas alguns dos fatores que explicam o aumento no número de empresas em Goiás”, enfatiza Euclides.

Facilidade

A empresária Elci Chiovato, de 63 anos, relata que foi muito rápido abrir uma empresa de contabilidade. “Em apenas três dias, tudo estava resolvido. Antigamente, isso levava meses”, destaca. Ela observa que, se toda a documentação estiver correta, o empreendedor não terá dificuldades para iniciar seu negócio em Goiás.

Leia também:

Economista fala sobre o panorama financeiro do brasileiro

Empresas, gente famosa e sorteios: entenda a operação da polícia contra esse esquema