As obras de musealização das ruínas do antigo Arraial de Ouro Fino foram vistoriadas pelo governador Ronaldo Caiado nesta terça-feira, 25. Fundado em 1727, esse arraial deu origem à Cidade de Goiás. Além do resgate da história do estado, o museu a céu aberto vai integrar o Caminho de Cora Coralina e deve estimular a economia local com o turismo.

Obras são resultado de parceria entre o Governo de Goiás e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Foto: divulgação

As obras são realizadas em parceria com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e contam com investimento de R$ 1 milhão. “Estamos tentando recuperar ao máximo as ruínas dessa igreja. Temos feito um trabalho duro, demos passos importantes e vamos avançar mais para preservar a história do nosso querido estado de Goiás”, explicou Caiado.

Parceira com Iphan

O governador destacou a importância da parceria com o Iphan. “São eles que têm toda a tecnologia e toda equipe capaz de fazer o levantamento”, ressaltou Caiado ao agradecer o superintendente do Iphan em Goiás, Pedro Wilson, que acompanhou a vistoria. A obra contempla o escoramento das paredes da antiga igreja, construção de cercas, passarelas, cobertura e bancos de concreto. O espaço também será requalificado com o plantio de árvores para proteção das ruínas.

No total, a Secretaria de Estado da Cultura (Secult) já destinou mais de R$ 11 milhões para obras de prédios históricos da cidade de Goiás além da transformação em museu dessas ruínas, como a revitalização das igrejas de São João Batista, Santa Bárbara, Nossa Senhora Aparecida, Catedral de Sant’Anna e Palácio Conde dos Arcos.

Igreja do Ferreiro

A Igreja São João Batista do Ferreiro foi fundada em 1761 e tombada como Patrimônio Histórico em 1953. Foto: divulgação

Ainda em agenda pelo aniversário de 296 anos da Cidade de Goiás, o chefe do Executivo estadual visitou ainda a Igreja do Ferreiro, construída em 1761, que também será restaurada. A Igreja São João Batista do Ferreiro foi fundada em 1761 e tombada como Patrimônio Histórico em 1953. A revitalização faz parte do projeto Fé, Religiosidade e Devoção, com investimento de R$ 1,5 milhão. Com aporte total de R$ 18,5 milhões, 10 igrejas serão restauradas, em 7 municípios diferentes.

A estrutura foi construída com taipa de pilão e telha de barro canal. Foto: divulgação

Caiado alertou sobre as condições da parte frontal da igreja e cobrou agilidade. “Vamos precisar de uma atenção especial dos nossos especialistas para recuperá-la e colocar para funcionar o mais rápido possível”, reiterou. A secretária de Estado da Cultura, Yara Nunes, explicou que a empresa contratada já montou a estrutura necessária para a revitalização e que as obras serão executadas em ritmo acelerado. “Queremos recuperar o máximo do telhado possível antes que as chuvas retomem”, destacou.

Localizada no antigo Arraial do Ferreiro, na zona rural da cidade de Goiás, a estrutura foi construída com taipa de pilão e telha de barro canal. A restauração prevê ainda a readequação do altar-mor, forros, pisos, sistemas elétricos e acessibilidade. Oneyr Manoel de Brito, de 60 anos, nascido e criado na região, comemorou a revitalização: “Isso é amor, origem de família, história, isso não tem preço.”