Apreciada no bar e em eventos comemorativos, quando alguém sabe como preparar, a caipirinha de limão é uma bebida tipicamente brasileira. O modo de combinar limão, cachaça, açúcar e gelo é simples, mas precisa de cuidados para não deixá-la amargando.

A caipirinha virou tradição em vários lugares do Brasil e em outros países. No entanto, o preparo errado tem sido repetido. Alguns estabelecimentos ensinam que o limão precisa ser esmagado em um copo baixo junto com o açúcar. Na sequência, um copo deve ser enchido com gelo quebrado e se completa com a cachaça.

O chefe do bar Aquários, de Goiânia, João Vitor, dá a receita que faz diariamente. Segundo ele, são necessários: um limão-taiti cortado em quatro pedaços, 50 ml de cachaça, gelo e 30 gramas de açúcar, o equivalente a duas colheres.

“O mais importante é colocar o limão com a polpa para cima, e tem que macerar [espremer] isso pouco, porque se macerar muito pode tirar o ácido do limão, passando para a bebida, o que pode amargar o drinque. Isso pode acabar estragando a caipirinha”, alerta.

Os cuidados com o limão é importante, porque pode produzir uma quantidade diferente de suco. Outro risco é quanto à quantidade de limão, pois o copo de drinque pode ficar com bagaço do limão, o que atrapalha uma experiência saborosa.