Uma obra do artista plástico Clóvis Graciano, na Praça do Trabalhador, em frente à antiga Estação Ferroviária, também foi destruída

O grande artista plástico Frei Confaloni (1917-1977), nascido em Vitelbo, Itália, e falecido em Goiânia, teve obras que não foram bem cuidadas.

Frei Confaloni: pintor e religioso italiano que se radicou no Brasil | Foto: Reprodução

Um verdadeiro absurdo aconteceu com um painel com motivação aviatória que ele criou na construção do terminal do Aeroporto Santa Genoveva, em meados da década de 1950. O terminal hoje é totalmente novo, mas o anterior sofreu uma reforma e o painel foi simplesmente destruído. Um crime contra a arte, contra o patrimônio cultural do Brasil e de Goiás.

Outro grande absurdo acontecido m Goiânia foi a destruição de obra do artista plástico Clóvis Graciano (1907-1988), na Praça do Trabalhador, em frente à antiga Estação Ferroviária. A obra foi destruída durante a ditadura civil-militar simplesmente porque o artista, paulista de nascimento, era esquerdista.