A prefeitura de Goiânia e o governo do Estado deveriam verificar o edifício e trabalhar por sua preservação

Hotel Bandeirantes, na Avenida Anhanguera, no Centro de Goiânia | Foto: Euler de França Belém/Jornal Opção

O edifício de um histórico hotel de Goiânia, o Bandeirantes, bem no centro da cidade, está se transformando em uma ruína, quando deveria ser preservado.

Observe, a partir das janelas, os buracos no teto dos quartos| Foto: Euler de França Belém/Jornal Opção

Integrantes do governo do Estado, da Prefeitura de Goiânia e do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU) deveriam dar uma olhada no local. Janelas estão quebradas, o teto dos quartos está furado e a parte externa está pichada. O verdadeiro retrato do abandono. É a história de uma cidade e de um tempo deixada ao léu. Trata-se de um patrimônio da cidade, e que tem história para “contar”.

Uma edição da Casa Cor, se feita no local, poderia recuperar o edifício, quem sabe.

Um prédio pequeno, que ainda mantém sua relativa elegância | Foto: Euler de França Belém/Jornal Opção

Durante muito tempo foi o hotel que recebia pessoas importantes que vinham a Goiânia. Por exemplo: foi lá que se hospedou o então ex-presidente Juscelino Kubitschek quando foi candidato a senador por Goiás em 1961.

Entre muitas celebridades artísticas que hospedou, inclui-se a notável cantora Elis Regina.

Hotel Bandeirantes | Foto: Euler de França Belém/Jornal Opção

O Hotel Bandeirantes pertencia a uma sociedade formada por Joaquim Machado, Joaquim Faria Pereira, Antônio Bertoldo, Hélio  Lage Poli e Amadeu Letiére.

O hotel fica na Avenida Anhanguera, nas proximidades da Avenida Goiás, no Centro de Goiânia.

(As fotografias foram feitas pelo Jornal Opção no domingo, 29 de novembro de 2020.)