O religioso percorreu centenas de comunidades, quase sempre a cavalo, evangelizando os fiéis que moravam mais afastados

Considerado uma figura santificada pelos devotos, o padre Pelágio Sauter, que morreu em Goiânia em 1961, não deixa de ser lembrado agora que os redentoristas enfrentam esse problema das denúncias do Ministério Público. O processo contra o padre Robson foi arquivado pelo Tribunal de Justiça, mas fica o desgaste.

Padre Pelágio Sauter | Foto: Reprodução

Pelágio nasceu na Alemanha em 1878, logo depois da unificação. Durante os 52 anos em que viveu no Brasil, sempre foi muito dedicado em sua missão. Nos cinco primeiros anos, ele atuou em algumas paróquias de São Paulo. Em seguida, veio para Goiás, onde cumpriu sua missão pelos 47 anos restantes.

Nesse período, desenvolveu múltiplas atividades pastorais. Nunca foi superior canônico. Seu apostolado predileto foram as “desobrigas” no sertão goiano. Quando percorreu centenas de comunidades, quase sempre a cavalo, evangelizando os fiéis que moravam mais afastados. Foi com esse trabalho que ele foi se tornando cada vez mais conhecido e estimado pelo povo.