O militante saltou do navio, nadou uma grande distância até chegar à praia do Flamengo. Correu até onde ficava a embaixada do Uruguai, saltou o muro e pediu asilo

A longa ditadura militar, que se iniciou com o golpe civil-militar de 31 de março de 1964, teve como um dos perseguidos em Goiás o então jovem líder estudantil Tarzan de Castro, que era de esquerda.

Tarzan de Castro: o militante goiano viveu anos em Paris, como exilado | Foto: Reprodução

Em 1968, Tarzan de Castro foi colocado a aprisionado em um navio com detentos políticos na baía da Guanabara.

O militante cometeu uma grande proeza, certo dia. Saltou do navio, nadou uma grande distância até chegar à praia do Flamengo. Correu até onde ficava a embaixada do Uruguai, saltou o muro e pediu asilo. Seu feito o transformou em lendária figura.

Tarzan de Castro morou anos na França, como exilado, e sua história merece ser levada ao cinema.