Cezar Santos
Cezar Santos

Quem quer “vaquinha” para cobrir rombo do PT está no “mundo da lua”

Ator Paulo Betti: consciência de militante amortecida          Ator Otávio Augusto: resposta à proposta indecorosa

Ator Paulo Betti: consciência de militante amortecida
Ator Otávio Augusto: resposta à proposta indecorosa

Cézar Santos

Atores vivem no mundo da lua, pode-se dizer. Eles saem do mundo real para assumir outras personalidades que vivem na ficção. Tão melhor é o ator/atriz que consegue fazer essa fuga da forma mais perfeita. Mas, depois da novela, do filme e do teatro, é necessário a volta ao mundo real.

Há um outro problema com atores e intelectuais. Como têm a grande visibilidade proporcionado pela constante aparição na imprensa, alguns deles se tomam por importantes, acham-se a “consciência da raça”, para usar uma expressão meio batida. E desandam a opinar sobre tudo, na crença de que têm uma infabilidade que os torna especiais.

O ator global Paulo Betti, um petista de consciência e de carteirinha, é um desses seres que se acham iluminados. E, como tal, por ser “cheio de luz”, parece se recusar a voltar à realidade depois que interpreta seus papéis na TV e no cinema. Só uma mente no mundo da lua poderia fazer a proposta que ele fez.

A proposta de Betti foi no sentido de ajudar o governo de seu partido a superar o buraco fiscal. A sugestão, que repercutiu nas redes sociais, é inusitada: uma “vaquinha” para tapar o rombo. A proposta foi divulgada no blog de Ancelmo Gois, do jornal “O Globo”, no finalzinho de 2015, e gerou bastante polêmica.

Depois da divulgação da “vaquinha”, o ator tentou se explicar, “brincando meio a sério”, ao colunista: “cada um dá o que pode. Pessoas físicas ou jurídicas. Fazemos superávit. Unimos a nação. Recuperamos a confiança do mercado internacional. Como fiz campanha da Dilma, farei um depósito de valor bom! Creio que Chico Buarque e outros farão o mesmo. Nos livramos desse problema chato de caixa e vamos nos divertir com outras coisas”, afirmou.
Como se vê, uma proposta do “balacobaco”, como diziam os antigos. Como a maior parte desse rombo, estimado em 117 bilhões de reais (ou 2,03% do PIB) foi provocado por roubo, corrupção, propinagem, Paulo Betti quer que os brasileiros reponham o dinheiro que seus amigos petistas no governo surrupiaram.

Menos mal que outro ator reagiu à altura, provando que a ribalta não é ocupada apenas por idiotas. O também global Otávio Augusto apresentou uma contraproposta. “Que tal você usar toda a sua influência de eleitor e cabo eleitoral de Dilma para tentar convencer a turma do mensalão, da Lava-Jato, da Petrobrás, empreiteiras etc. a devolver o que surrupiaram do Estado e de nós? Penso que seria melhor do que fazer ‘vaquinhas’ e CPMFs para pagar com nossos salários estas roubalheiras”, questionou Augusto.
A resposta é perfeita.

Talvez Paulo Betti não tenha se dado conta. Mas o governo do PT dele já está tentando realizar essa vaquinha que ele sugere. O nome é CPMF.

Quem faz uma proposta dessa prova que a mente introjetou totalmente a corrupção e a má gestão que o PT vem cometendo nestes 13 anos. Para Paulo Betti, o roubo nem precisa ser explicado e muito menos investigado e os responsáveis punidos. O ator acha normal o rombo, daí sugerir a “vaquinha”, como a dizer “ah, sempre se roubou, não faz mal que o PT roube também”.
É esse o cidadão que se acha iluminado.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.