Marcos Aurélio Silva
Marcos Aurélio Silva

Decisão de Iris em apoiar Caiado pode garantir volta do MDB ao governo do Estado

Aliança é do interesse dos Democratas e da base governista que já tem reforçado as sinalizações de aproximação

A simpatia e afinidade política que há entre Iris Rezende (MDB) e o governador Ronaldo Caiado (DEM) pavimentam uma aliança para 2022 que já é chamada pelos simpatizantes de “imbatível”. A cada dia que se aproxima das eleições estaduais se torna mais forte os indícios de que MDB e DEM estarão no mesmo palanque. Essa aliança já parece sacramentada com a decisão de Iris em compor a linha de frente entre apoiadores que vão trabalhar pela reeleição do democrata ao governo do Estado.

O Jornal Opção adiantou que Iris Rezende já avisou ao prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha (MDB), e ao presidente regional do MDB, Daniel Vilela, que irá apoiar o governador Ronaldo Caiado na reeleição. Apesar de faltar mais de um ano para o começo da campanha, esta pode ser a movimentação mais importante para as eleições no Estado.

É um movimento importante, mas que também já era aguardado. O alinhamento e proximidade que sempre houve entre o líder Iris Rezende e Ronaldo Caiado era o indício de que essa aliança está entre as mais prováveis para 2022. A composição entre MDB e DEM começou a ser ventilada já no ano passado, quando o governador só optou por apoiar o senador Vanderlan Cardoso (PSD) na disputa pela Prefeitura de Goiânia após a confirmação oficial de que Iris não buscaria a reeleição. Uma demonstração de que os dois estavam em sintonia.

A afinidade que há entre os dois tem origem ainda nas eleições de 2014. Ano em que eles estiveram juntos na chapa em que Iris Rezende concorria ao governo do Estado e Ronaldo Caiado ao Senado. Iris foi vencido por Marconi Perillo (PSDB) pela terceira vez. Caiado se tornou senador, e a estrutura do MDB foi decisiva para sua vitória.

A composição montada em 2014 inspira 2022. Muitos apoiadores torcem para que Iris retorne a política como candidato ao Senado na chapa encabeçada por Caiado. E caso se confirme o atual cenário, o adversário será o tucano Marconi Perillo. Os emedebistas próximos a Iris gostam da ideia por ser uma espécie de revanche.

Embora o emedebista, que no ano passado anunciou sua aposentadoria, não tenha abandonado o seu ofício de exímio articulador e de liderança histórica e reconhecida — prova disso é a sua movimentada agenda que inclui conversas com representantes políticos e gestores de todo o Estado. Iris reluta em se lançar candidato. Ele tem escutado a família que apela para que, aos 87 anos de idade — 62 deles na vida pública —, priorize os cuidados com a saúde. Assim, pode ser que não seja candidato, mas seu capital político está a favor de Ronaldo Caiado, e essa influência, além de possivelmente atrair o MDB para o projeto de reeleição do democrata, lhe permite indicações para compor a chapa governista.

Caso se confirme essa composição com um emedebista na vaga de vice-governador, Iris teria mais uma demonstração de sua força política, pois, estando no centro das negociações e articulações, ele permitiria que o MDB voltasse ao governo do Estado após 22 anos.

Esse cenário que coloca Iris e Caiado lado a lado nas eleições de 2022 enfraquece a proposta daqueles que defendem uma candidatura própria do MDB. Um grupo dentro do partido ainda trabalha para que Daniel Vilela seja candidato ao governo. Há também os que defendem que Gustavo Mendanha seja o nome do partido na disputa majoritária em 2022 — este já tem até buscado apoio na região do Entorno de Brasília e no próprio Distrito Federal. No entanto, é preciso considerar que essa vontade perdeu força após a ala comandada pelos Vilela desembarcarem da Prefeitura de Goiânia em razão do rompimento com o prefeito Rogério Cruz (Republicanos). A gestão da capital que seria a vitrine e o ponto de partida para as o projeto eleitoral de 2022 saiu das mãos do MDB de forma trágica com a morte de Maguito Vilela por complicações da Covid-19. Esse é um fator que obriga esse grupo a rever suas estratégias.

Qualquer um que se permita avaliar friamente o atual contexto político e suas projeções para 2022 verá que a manifestação de Iris em apoiar Caiado não deve ser encarada como uma disputa interna que visa enfraquecer a ala ligada aos Vilela. Ao contrário, o apoio à reeleição do governador tem um intuito didático direcionado às novas lideranças do MDB. Iris aponta o caminho para o partido voltar ao governo do Estado, ou seja, compor, se fortalecer, ampliar a base e o capital político para no futuro encabeçar uma chapa vencedora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.