Rodrigo Hirose
Rodrigo Hirose

Coronavírus matou, em quatro meses, mais que a dengue desde 2010

Número de mortes confirmadas em Goiás em julho corresponde a 35% do total registrado desde a primeira, em 26 de março

Foto: Reprodução

O coronavírus Sars-Cov-2 já matou em Goiás praticamente o mesmo número de pessoas que outro velho conhecido dos goianos, o vírus da dengue, matou desde 2010. De acordo com o último balanço divulgado pela Secretaria Estadual da Saúde (SES), nesta quarta-feira, 8, a Covid-19 havia matado, em quatro meses, 733 pessoas no Estado – havia, ainda, outros 52 óbitos suspeitos. A dengue, por sua vez, fez 790 vítimas em uma década.

Os dados constam dos boletins epidemiológicos disponíveis no site da Secretaria Estadual da Saúde. Em 2020, quatro óbitos por dengue foram confirmados em Goiás. Outros 92 estão sob investigação. A diferença no número de mortos causadas pelas duas doenças é mais impressionante quando se compara com a quantidade de diagnósticos positivos confirmados. Até agora, são 32.981 casos de Covid-19 e 41.486 de dengue no Estado – outros 67.908 casos são suspeitos.

A proporção dá uma dimensão da letalidade da Covid-19. Enquanto ela causou a morte de uma pessoa a cada 44,9 casos confirmados, a dengue matou uma a cada 10.372. A proporção, contudo, deve ser relativizada, por causa da subnotificação. Segundo estudo da Universidade Federal de Goiás (UFG), o real número de mortes em Goiás pode ser 30% maior que os dados oficiais. A SES, no entanto, discorda e afirma que eles são fidedignos – a pasta, porém, admite que há subnotificação em relação aos diagnósticos.

Velocidade

O último boletim divulgado pela SES comprova, mais uma vez, que a velocidade de transmissão do coronavírus e a fatalidade da doença têm sido cada vez maiores. Somente em julho, 252 mortes foram confirmadas no Estado. Elas representam praticamente 35% de todos os óbitos registrados desde o primeiro, que ocorreu em 26 de março.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.