Hélio Rocha
Hélio Rocha

O goiano Waldir Amaral se tornou, na Rádio Globo, o rei da narração esportiva no Brasil

A partida iniciava, a turma da Rádio Globo começava a narrar e comentar. O país parava pra ouvir a envolvente do radialista de Pilar de Goiás

Waldir Amaral: o craque do rádio esportivo | Foto: Reprodução

Nas décadas de 1960 e 1970 quem não estava nos estádios acompanhava os jogos de futebol pelo rádio.

No Rio, os porteiros de edifícios eram aficionados, com seus radinhos junto do ouvido. Praticamente todos ouvindo a narração de Waldir (ou Valdir) Amaral, pela Rádio Globo.

Waldir Amaral era goiano, nascido em 1926, em Pilar de Goiás, criado em Anápolis e iniciou sua carreira na Rádio Clube de Goiânia.

Jorge Curi e Waldir Amaral: narradores de futebol que podem ser chamados de Tostão e Pelé do rádio esportivo | Foto: Reprodução

Líder absoluto de audiência, Waldir Amaral criou seus bordões, como “indivíduo competente”, referindo-se a bons jogadores, “o peixe está na rede” e cognomes a jogadores, como “Príncipe Etíope” (Didi) e o “Rei Zulu” (Zózimo). Criou a designação que acompanha o jogador Zico, o “Galinho de Quintino”.

Waldir Amaral morreu aos 70 anos (dez dias antes de fazer 71 anos), em 1997.

Bordões criados por Waldir Amaral, segundo a Wikipédia:

“Tem peixe na rede do…” — Se referindo ao time que levava gol do adversário.

“Choveu na horta do…” — Waldir Amaral se referindo ao time que fazia gol no adversário.

“É fumaça de gol” — Quando surgia uma oportunidade de gol: “Aproxima-se da área, é fumaça de gol”.

“Caldeirão do Diabo” — A grande área (“Vai cruzar no caldeirão do Diabo”).

“Indivíduo competente” — Quem fazia o gol.

“Deeeeez, é a camisa dele!”

“O visual é bom, Roberto tem bala na agulha” — Quando o jogador ia bater uma falta.

“Jogada Petróleo” — Uma jogada muito boa que resultava em gol (“Um golaço numa jogada joia, uma jogada petróleo!”).

“Estão desfraldadas as bandeiras do Botafogo” — Logo após o gol.

“Deixa comigo” — Após a vinheta do seu nome.

“O relógio marca” — Quando dava o tempo de jogo.

(((LABORATÓRIO NÚCLEO — ABERTO 24 HORAS)))

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.