Hélio Rocha
Hélio Rocha

O diálogo entre o ministro Dilson Funaro e o ministro Iris Rezende

“Não aceito mudar um centavo no preço da carne nos supermercados. Se eles insistirem, encho os supermercados e frigoríficos de carne importada”

José Sarney, então presidente da República, despacha com o ministro da Fazenda, Dilson Funaro | Foto: Reprodução

O mês de março de 1986 assinalava uma agitação sem precedentes na economia brasileira, por causa do pacote econômico que, no último dia de fevereiro, tentava deter a inflação com o Plano Cruzado. No começo da segunda quinzena, duas semanas de vigência do plano, os produtos sob tabelamento, Iris Rezende, que era ministro da Agricultura, foi conversar com o ministro Dilson Funaro, da Fazenda — e então todo-poderoso do Plano Cruzado.

José Sarney e Iris Rezende, que foi ministro da Agricultura do governo do presidente | Foto: Reprodução

Iris Rezende foi defender um interesse dos pecuaristas: aumento no preço da carne que os supermercados e frigoríficos compram dos criadores.

O ministro da Agricultura ouviu uma resposta curta e seca de Dilson Funaro: “Olha, ministro, não aceito mudar um centavo no preço da carne nos supermercados. Se eles insistirem, encho os supermercados e frigoríficos de carne importada”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.