Hélio Rocha
Hélio Rocha

Como falavam os índios Caiapó e a pesquisa do cientista Saint-Hilaire

Vocabulário Caiapó: Deus, Punçá; Sol, inpuputé. Lua, puturuá; homem branco, cacateta; estrelas, amsitú; terra, cupiá; homem, onnnnnnnnnnnnnnntiera

O cientista-sertanista francês Auguste de Saint-Hilaire (1779-1857 — viveu 73 anos) fez uma longa viagem pelo interior do Brasil, entre os anos de 1816 e 1822.

Em Goiás, Saint-Hilaire conheceu, por exemplo, as águas termais da região que viria a ser Caldas Novas. E conheceu os índios Caiapó. Pesquisou bastante como tais índios falavam. Produziu até mesmo um dicionário. Veja-se algumas palavras — Deus, Punçá; Sol, inpuputé. Lua, puturuá; homem branco, cacateta; estrelas, amsitú; terra, cupiá; homem, onnnnnnnnnnnnnnntiera; e cabelo, iquim.

Auguste de Saint-Hilaire: cientista francês que pesquisou o Brasil | Foto: Reprodução

Na sua longa viagem opor Goiás, Auguste Saint-Hilaire passou por Santa Luzia, hoje Luziânia, onde fez amizade com o vigário, que falava francês. Ele esteve uma manhã na praça da matriz. Um cidadão perguntou para outro quem era, foi informado de que se tratava do francês Auguste Saint-Hilaire. E perguntou então qual era o apelido. Na época, em Santa Luzia ninguém deixava de ter apelido.

Marc Pignal, curador da Coleção Auguste Saint-Hilaire do Museu Nacional de Paris, em visita a Goiás, disse: “Ele fez uma descrição da sociedade brasileira do século 19, em botânica até hoje suas descrições sobre as plantas são usadas pela precisão nos detalhes”. Ele frisa que, já em 1816, o cientista apontou o desaparecimento das matas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.