Euler de França Belém
Euler de França Belém

William Bonner, Fátima Bernardes e Suzane von Richthofen deveriam ser deixados em paz pela imprensa

Montagem

Montagem

Os jornalistas William Bonner e Fátima Bernardes separaram-se, como tantos casais, e volta e meia estão na imprensa, não por vontade própria, e sim pelo sensacionalismo de jornais, revistas, sites e redes sociais. Como estão reconstruindo suas vidas, fortalecendo suas identidades — separação de casais que vivem juntos há muito anos é quase sempre uma espécie de mutilação —, e as notícias sobre a separação não acrescentam mais nada, seria positivo que nós, jornalistas, deixássemos ambos em paz.

Outra pessoa que a imprensa deveria deixar em paz é Suzane von Richthofen, condenada por matar, com o auxílio de dois homens, os pais.

Suzane von Richthofen cometeu um crime gravíssimo, dos mais inomináveis, pelo qual, ao ser condenada, pagou e, ante o opróbio público, vai continuar pagando. Portanto, a imprensa deveria deixá-la em paz, para que cuide de sua própria vida. Se cometer outra infração grave — seus namoros e briguinhas eventuais só lhe dizem respeito —, aí, sim, a imprensa deve voltar os olhos para a jovem. Esquecida, talvez possa reconstruir sua vida — o que é um direito seu. Seu dever é tornar-se uma cidadã de bem.

Manter Suzane von Richthofen sob a luz incandescente dos holofotes é torná-la ainda mais maldita. Por que amaldiçoar os já malditos com excesso de exposição?

Deixe um comentário