Euler de França Belém
Euler de França Belém

Texto de Rogério Borges conecta a seca atual à literatura de Graciliano Ramos e Raquel de Queiroz

“Vidas Secas” é um belíssimo texto de Rogério Borges sobre a seca, a real da atualidade e a abordada pela literatura de Graciliano Ramos (o título é, claro, uma referência ao romance magno do escritor alagoano), Raquel de Queiroz (por sinal, caro Borges, sem acento), José Américo de Almeida, Patativa do Assaré e Ariano Suassuna e pela música de Luiz Gonzaga (“Súplica Cearense”, não citada [veja uma versão modernizada do Rappa no link: https://www.youtube.com/watch?v=F19PnbWigSA], e “Asa Branca” são maravilhas do cancioneiro popular).

No fim do texto, no qual discute as motivações da seca, Borges pergunta: “Por que não os leram?” (Graça, Rachel, Almeida, Patativa e Suassuna. Poderia ter acrescentando Josué de Castro e Marco Antônio Villa.) “Luiz Gonzaga transformou em hino a fuga da asa branca… Por que não o ouviram? Por que nunca aprendemos, meu Deus?”

Deixe um comentário