Euler de França Belém
Euler de França Belém

Sergio Chapelin, do Globo Repórter, vai deixar a TV Globo em 2020

Daqui a dois anos, o apresentador terá 79 anos e sugere que é hora de se aposentar. Ele já mora numa fazenda

A voz segura de Sergio Chapelin, com suas entonações precisas, torna o “Globo Repórter” um programa mais agradável. Ele fará 77 anos em maio, mas sua voz, sempre segura e com ritmo adequado — não há quedas e tremuras —, permanece a de um homem bem mais jovem. Numa entrevista ao UOL, pouco depois da entrega do Troféu Imprensa, o jornalista-apresentar disse que se aposentará em 2020, ao completar 79 anos.

“Eu pensava que seria o último contrato. Em dezembro de 2017, eu me afastaria, ficaria ainda com o vínculo com a empresa e seria o último contrato. Mas houve uma conversa, me pediram para ficar mais um pouquinho. A gente é muito fraca. Meu contrato termina em dezembro de 2019. Depois, seja o que Deus quiser’, disse. Poderia voltar ao SBT? “Não tenho mais idade para aventuras”, frisou.

Biografia mínima

Sergio Vieira Chapelin nasceu em Valença, em 12 de maio de 1941. Como sua vida de jornalista como locutor de rádio, tendo trabalhado na Rádio Nacional, Rádio MEC e Rádio Jornal do Brasil. Começou na TV Globo em 1972, como apresentador do “Jornal Hoje”. Pouco depois, no mesmo ano, assumiu a apresentação — ao lado de Cid Moreira — do “Jornal Nacional”. Eles criaram uma dobradinha das mais bem-sucedidas da televisão patropi.

O SBT contratou Sergio Chapelin para apresentar o “Show Sem Limite”, em 1983. Não deu certo. A Globo o recontratou em 1984 e, a partir de 1989, retomou a apresentação do “Jornal Nacional”. A partir de 1992, foi transferido para a apresentação do “Fantástico”. Daí foi para o “Globo Repórter”, onde permanece.

Segundo a Wikipédia, Sergio Chapelin mora numa fazenda, em Itanhandu, em Minas Gerais. De lá, vai, toda semana, para a Central Globo de Jornalismo, no Rio de Janeiro, onde apresenta o “Globo Repórter”.

Deixe um comentário