Euler de França Belém
Euler de França Belém

Revista Star diz que John Travolta e Tom Cruise são amantes. O que isto muda na história do cinema?

A sexualidade alheia incomoda e as publicações sensacionalistas estão sempre apontando o “dedo” e descobrindo homossexuais que supostamente permanecem no armário. Recentemente, um jornal publicou que a ex-mulher de Luciano — irmão e parceiro de Zezé Di Camargo — disse que o cantor manteve relacionamentos homossexuais. Logo depois, a seriíssima revista “Veja”, na internet, escavou a história e publicou que a ex-mulher havia recuado. Seria uma vingança pessoal, motivada por dinheiro? Apesar de publicarem a história, dando-lhe destaque, até indevido, o jornal e a revista nada esclareceram. Saber que Luciano é heterossexual, bissexual ou homossexual muda alguma coisa? Nada. Sua música não melhorar nem piora. Sua sexualidade não altera a vida da sociedade, nem positiva nem negativamente. Por isso é melhor deixar o artista em paz.

Nos Estados Unidos, a revista “Star” esmera-se em publicar informações assombradas por fofocas explosivas (quais não são?). Há pouco, “informou” que o ator Jack Nicholson “tem” Alzheimer e, por isso, não tem aparecido em público. É possível que esteja doente? É. Mas amigos desmentiram e a “Star” não apresentou evidências contundentes — exceto que estaria “desaparecido”. Outras publicações ressaltaram que foi visto em estádios.

Agora, a “Star” volta a um tema antigo, a suposta homossexualidade de John Travolta. O ator já moveu processos contra os que denigrem sua imagem, mas os jornais e revistas sensacionalistas não o esquecem. Chegou, pois, a vez da “Star”, que agora envolve também o ator Tom Cruise.

Segundo a “Star”, baseada aparentemente em fontes secretíssimas, John Travolta e Tom Cruise mantêm um caso há 30 anos. O curioso é que nenhuma publicação séria — nem livros que vasculharam a vida de Tom Cruise contêm uma linha sobre o assunto — deu crédito à informação. Os atores estão na capa da revista.

A “Star” sublinha que, ao ver o filme “Negócio Arriscado”, de 1983, John Travolta obcecou-se com Tom Cruise. Os dois teriam se conhecido numa academia, no Oregon, em 1985. Tom Cruise estava aprendendo a pilotar avião e John Travolta já era um piloto experiente (pilota até Boeing). Pilotar avião, de Los Angeles ao Estado de Oregon, era uma forma de disfarçar os encontros.

Tom Cruise casou-se três vezes, e com belas mulheres: Mimi Rogers, Nicole Kidman e Katie Holmes, e John Travolta é casado com Kelly Preston há 24 anos.

A história da “Star” é verdadeira? A julgar pelo histórico da revista, é mais fofoca viperina. Porém, se os dois forem amantes, como assinala a publicação, o que isto muda na história do cinema? Não muda nada. A publicação talvez seja uma forma de vilipendiar, mais uma vez, os homossexuais. Fica-se com a impressão de que a homossexualidade — um dado a mais da vida de algumas pessoas — é algo monstruoso, quando não o é.

Deixe um comentário