Euler de França Belém
Euler de França Belém

Prejuízo de RS 144 milhões: família Marinho retira executivo e assume comando do Grupo Globo

Com a queda de Jorge Nóbrega, João Roberto Marinho e Paulo Marinho assumem o comando do Grupo Globo e da TV Globo

A Globo fechou o primeiro semestre de 2021 com um prejuízo de 144 milhões de reais. Custos com direitos de transmissão de eventos esportivos e a retomada das gravações, segundo relatório da empresa, são os responsáveis pelas contas em vermelho.

A Globo informa, porém, que tem 12,5 bilhões de reais em caixa — o que prova a solidez da empresa.

João Roberto Marinho: novo presidente do Grupo Globo | Foto: Divulgação

Os resultados negativos provocaram uma dança das cadeiras no comando do Grupo Globo. A família Marinho havia passado a presidência do grupo para o executivo Jorge Nóbrega, adotando o sistema de profissionalização em voga no mercado global. Mas agora processa-se uma reviravolta, um recuo.

Jorge Nóbrega “caiu” para o cargo de membro do Conselho de Administração do Grupo Globo, e João Roberto Marinho (de 68 anos) — que dizem ser o mais preparado da família — assume a presidência do Grupo Globo, acumulando o comando do Conselho de Administração. Paulo Marinho será o presidente da TV Globo, a partir de 2022. Ele tem 44 anos e é formado em Administração de Empresas.

Jorge Nóbrega e Paulo Marinho | Foto: Sergio Zalis

Segundo reportagem de “O Globo”, “sob a direção” de Jorge Nóbrega, “a Globo transformou-se numa empresa mediatech, com a qualidade de seus conteúdos fortemente apoiada pela tecnologia e voltada para o relacionamento direto com o consumidor. Tendo promovido também um amplo processo de mudança cultural, Nóbrega alinhou ainda mais as práticas da empresa à pauta ESG [Environmental, Social and corporate Governance, ou seja, ambiental, social e governança corporativa], investiu em dados, estreitou o relacionamento com o mercado e as marcas” por intermédio “de novas práticas e formatos comerciais multiplataforma e ampliou as parceiras estratégicas”.

Apesar dos elogios, Jorge Nóbrega não conseguiu o principal, em 2021: tornar o Grupo Globo lucrativo. Por isso, de alguma maneira, a queda. A política do executivo de demitir dezenas de funcionários e cortar salários mais altos não deu os resultados esperados. E os investimentos feitos não deram o retorno previsto a médio prazo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.