Euler de França Belém
Euler de França Belém

Para concorrer com a Globo, a CNN Brasil planeja adquirir SBT ou Rede TV! e Gazeta

Há indícios de que a CNN Brasil quer se tornar dominante no mercado de jornalismo. Teria percebido uma certa fragilidade na Globo

Douglas Tavolaro e Monalisa Perrone: investimento no Brasil parece ter objetivos maiores| Foto: Reprodução

Extensa reportagem da revista “Piauí” mostra que a CNN Brasil não é, ao menos no momento, lucrativa. A matéria sustenta que, durante alguns anos, continuará deficitária, sem conseguir pagar os investimentos. Se televisão não é mais um grande negócio — antes, era uma espécie de banco da informação —, por que um banqueiro-construtor civil bilionário, Rubens Menin, e um jornalista consagrado, Douglas Tavolaro, decidiram implantar a rede de notícias no Brasil?

Em tese, tanto o empresário quanto o jornalista, sócios — o primeiro entrou com o capital e o segundo com a expertise em comunicação —, sabem que a CNN Brasil, se rende prestígio e poder, não gera recursos suficientes, ao menos na circunstância, com o país em recessão. É provável que o faturamento, no momento, não pague a folha salarial dos funcionários. Rubens Menin está pondo dinheiro para bancar o negócio. Está investindo.

Rubens Menin e Douglas Tavolaro: objetivo parece ser desafiar a Globo, ao menos no campo jornalístico | Foto: Reprodução

Mas surgiu a informação do que pode ser o projeto real da CNN. Seriam Douglas Tavolaro e Rubens Menin “laranjas” da CNN americana? Não há indícios disso. Mas uma nova jogada sugere que o jogo do jornalista e do empresário é mais alto do que parecia. Segundo o site Notícias da TV, os americanos, com seus sócios brasileiros, planejam negociar com o SBT, Rede TV! e Gazeta. “O veículo de comunicação estaria interessado em três tipos de negócios: compra total ou parcial, fusão ou arrendamento. Caso a compra dê certo, a CNN passará a ser a única emissora aberta completamente jornalística do país”, frisa o iG.

“Se o arrendamento acabar ocorrendo, a CNN passaria a ser responsável pelo jornalismo de uma emissoa. O canal de televisão ocuparia determinadas faixas de horário na TV aberta e continuaria com a sua faixa na televisão por assinatura”, registra o iG.

Se a história for adiante, pode-se sugerir que a CNN Brasil pretende se tornar dominante na área jornalística, numa tentativa de superar a Globo. Num primeiro momento, e com algumas notícias exclusivas, a CNN ameaçou a hegemonia da GloboNews. Com o tempo, acomodou-se (tem de fugir do rótulo de rede chapa branca), e a GloboNews, mais crítica e conectada à sociedade, à circunstância, permanece na liderança, mantendo a CNN Brasil bem longe, em termos de audiência. Em termos de qualidade, a rede dirigida por Tavolaro não faz feio, aqui e ali, superando a principal concorrente.

O que se pretende é muito mais do que concorrer com a GloboNews, como parecia à primeira vista. O objetivo parece ser enfrentar, com a cara e a coragem, a líder de audiência no país, a TV Globo, que apresenta o “Jornal Nacional”. Ressalte-se que a Globo, além do jornalismo, é forte na área de entretenimento — que não é o campo da CNN, nem nos Estados Unidos. Tudo indica que há a percepção de que, embora bem-sucedida, a Globo estaria relativamente fragilizada, em termos estruturais. Seria o momento de “atacar”, de disputar, de maneira mais intensa, o mercado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.