Euler de França Belém
Euler de França Belém

O músico João Gilberto tenta mas não consegue apreender biografia não autorizada

João Gilberto, o Roberto Carlos da Bossa Nova, tentou mas não conseguiu apreender o livro “João Gilberto”, de Walter Garcia, publicado pela editora Cosac Naify, em 2013. O Portal Imprensa relata que “a 5ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo manteve a decisão de primeira instância que indeferiu o pedido de busca e apreensão de biografia não autorizada do cantor e compositor João Gilberto”.

A Justiça avaliou, com correção, que a apreensão do livro “seria uma forma de censura prévia”, registra o portal. “O relator João Francisco Moreira Viegas avaliou que o compositor não demonstrou o alegado dano moral que teria sofrido e agiu com a intenção de determinar censura antecipada ao livro.” Livros que propagam a obra de João Gilberto, reconhecidamente de qualidade, não provocam dano algum. Pelo contrário, soam como publicidade de sua música.

“Nos apertados limites dessa cautelar, em que o autor/apelante só busca a apreensão da obra literária em via de ser divulgada, não há mesmo como reconhecer a ocorrência de lesão à honra, à imagem ou à intimidade do apelante. Adentrar nessa seara é admitir a possibilidade de censura prévia”, assinalou o relator João Viegas.

Não há dúvida de João Gilberto é um dos maiores artistas brasileiros, comparável a Noel Rosa, Chico Buarque e Caetano Veloso. Mas seu comportamento no Brasil não parece o de um simples mortal. Ele comporta-se como uma espécie de Emilio Garrastuzu Médici da música patropi. Fica-se com a impressão de que se uma pessoa espirrar, e se o espirro soar como “jooooããããoooo ggggilllbberrtoo”, o músico recorrerá à Justiça para mover mais um processo. A Justiça não deve ser vista como chicote para “atacar” aqueles que, mesmo escrevendo de maneira positiva sobre seu trabalho — e a respeito seu estranho comportamento —, não se posicionam como aduladores tradicionais.

João Gilberto é, possivelmente, maior do que o mito de ranzinza, chato de galocha, como se dizia quando ele era jovem, que está criando para si. O gigante fica menor quando encrespa quando faz muito barulho por nada.

2
Deixe um comentário

1 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
Cesar Saldanha

Olha, só uma observação: antes de qualquer conjunção, por favor, coloque uma vírgula, e a conjunção “mas” é a única que não aceita a virgula após. Quanto aos comentários sobre João Gilberto, deveríamos fazer “análise cultural” antes qualquer critica. Somos donos de denigrir e destruir a imagem de qualquer personagem que conseguiu reconhecimentos internacionais em prol do Brasil, e isso serve em qualquer área, seja política, artística ou outras.

Gulliver

Olha, só uma observação: o certo é “denegrir”.