Euler de França Belém
Euler de França Belém

Morto aos 85 anos, José Louzeiro era bom prosador

Escreveu romances e biografia de Elza Soares e pode ser uma “passagem” para Machado de Assis, Graciliano Ramos e Guimarães Rosa

O escritor José Louzeiro morreu, aos 85 anos, na sexta-feira, 29, no Rio de Janeiro. Ele teve uma parada cardiorrespiratória.

Nascido no Maranhão, José Louzeiro publicou mais de 50 livros, como “Pixote” (base do filme de Hector Babenco), de 1981, e uma biografia da cantora Elza Soares. O escritor trabalhou nos jornais “Correio da Manhã” e “Última Hora” (de Samuel Wainer) e na revista “Manchete” (dos irmãos “Karamabloch”).

Mesmo sob certa discrição, José Louzeiro era um dos grandes vendedores de livros no Brasil. Sua literatura é precisa e imaginativa, ainda que tendam a vê-la, por vezes, como no limite da reportagem. O fato é que, mesmo incursionando pela literatura, nunca deixou de escrever livros de não ficção, como as biografias de Ana Néri, Gregório Fortunato (ligado ao presidente Getúlio Vargas) e Elza Soares (leia resenha no link: https://www.jornalopcao.com.br/colunas/imprensa/elza-soares-e-a-billie-holiday-dos-tropicos).

Suas obras não têm a qualidade literária dos melhores livros de Machado de Assis, Graciliano Ramos, Guimarães Rosa e Clarice Lispector, mas são bem escritas e nada amadoras. Era um profissional da literatura, às vezes verboso, mas nunca ruim. Ele tinha uma rara perspicácia para mimetizar a linguagem das ruas, mas sem se tornar grosseiro, e registrar o comportamento das pessoas.

Uma literatura de alta qualidade se faz com grandes e médios escritores. As primeiras incursões de vários leitores são mergulhos na prosa de José Lins do Rego (que aprecio), Jorge Amado (quase sempre interessante), João Antônio (ótimo prosador, por sinal) e José Louzeiro. Nem todos vão chegar aos pesos pesados, como Machado, Graça e Rosa. Mas vários certamente chegarão aos autores mais qualificados. Escritores medianos são, por assim dizer, “passagens”.

José Louzeiro escreveu o roteiro do filme “Vigário Geral”.

Alguns livros de José Louzeiro

Diabetes — Inimigo Oculto (não ficção)

Vestido de Noivo

Aracelli, Meu Amor (não ficção)

Detetive Fora de Série

Os Amores da Pantera

A Fina Flor da Sedução

A Hora do Morcego (infantil)

Ana Neri — A Brasileira Que Venceu a Guerra (biografia)

O Bezerro de Ouro (infantil)

Elza Soares — Cantando Para Não Enlouquecer

Mito em Chamas

O Anjo da Fidelidade — História Sincera de Gregório Fortunato

Pixote

Praça das Chamas

Devotos do Ódio — Uma Profecia Camponesa

A Hora H do Padre G

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

jurandir brito

Adeus,LOUZEIRO…Conheci voce de perto,nao so como escritor,mas,como humanista que voce era… e pena que nao existia na epoca,a facilidade de se registrar imagens e audios,como hoje,porque com certeza,eu teria comigo gravado,as vezes em que fui no seu apartamente,ali na rua Coelho Neto,onde tomamos cafe e conversamos sobre politica,cinema,tv e literatura… adeus e obrigado por tudo…