Euler de França Belém
Euler de França Belém

Morre o marinheiro que politizou o Cabo Anselmo e escreveu livros sobre a esquerda

Morreu no sábado, 21, no Rio de Janeiro, o marinheiro que, na década de 1960, contribuiu, de maneira decisiva, para politizar os demais marinheiros — entre eles o Cabo Anselmo. Antônio Duarte dos Santos, que viveu exilado na Suécia, sofreu um infarto quando estava em Portugal. Passou vários dias internado na terra de Camões e Fernando Pessoa. Depois, foi trazido para o Brasil pela Marinha e internado no Hospital Marcílio Dias, no Rio, onde foi operado. Depois da cirurgia, sofreu uma parada cardíaca e, pouco depois, faleceu.

Conversei com Antônio Duarte há poucos dias. Ele estava no Hospital Marcílio Dias e falava de suas pesquisas e de seus planos para publicar livros, um deles sobre geopolítica.

Antônio Duarte era um intelectual refinado, de inteligência aguda e perspicaz — comprometido com a mudança social. Acima de tudo, um homem decente. Permaneceu de esquerda até o fim.

Em 2005, o Jornal Opção o entrevistou longamente. Um link para parte de sua entrevista pode ser conferido aqui:  https://www.jornalopcao.com.br/colunas-e-blogs/imprensa/o-marinheiro-sueco-que-politizou-o-cabo-anselmo-4906/

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Luciana L. Carezzato

Homem decente? Vendido, traidor, covarde capaz de entregar a própria companheira grávida de um filho dele para morrer cruelmente torturada nas mãos do Fleury em troca de proteção e de uma pensão do Estado que felizmente nunca chegou a receber.