Euler de França Belém
Euler de França Belém

Morre Lü Houmin, o fotógrafo que mostrou a faceta humana do ditador Mao Tsé-tung

Morreu na segunda-feira, 9, Lü Houmin, de 87 anos, o fotógrafo pessoal do ditador chinês Mao Tsé-tung.

As melhores fotografias de Mao Tsé-tung, sobretudo do período inicial da Revolução Chinesa, foram feitas por Lü Houmin. O político que é acusado de ter mandado matar cerca de 70 milhões de pessoas permitiu que o profissional fizesse fotos dele jogando tênis de mesa e na praia (acima). O jornal “ABC” diz que “Lü era considerado uma das melhores testemunhas da história recente da China”.

Lü Houmin, contratado para fotografar os líderes comunistas em 1950, um ano depois da Revolução de 1949, sobreviveu, milagrosamente, aos expurgos.

De 1950 a 1957, Lü Houmin foi praticamente “o” fotógrafo de Mao Tsé-tung e também fotografou outros líderes da Revolução, como o braço direito do Grande Timoneiro, Chu Enlay.

As fotografias de Lü Houmin tinha um objetivo: mostrar Mao Tsé-tung de maneira mais humana e, ao mesmo tempo, reforçar o culto à personalidade.

“Mao nunca me disse que o que podia e o que não podia fotografar e publicar”, disse Lü Houmin. Como em qualquer ditadura, os profissionais, como jornalistas e fotógrafos, sabem o que é e o que não é possível divulgar. Mao e seus filhos foram fotografados lendo no seu escritório particular ou sorrindo relaxado.

Independentemente da política, as fotos de Lü Houmin são de qualidade.

Uma das fotografias mais célebres de Lü Houmin mostra Mao Tsé-tung sentado numa cadeira de madeira e fumando um cigarro no pico dos montes Lushan. Turistas até hoje repetem a fotografia do ditador.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.