Euler de França Belém
Euler de França Belém

Morre João Havelange, verdadeiro deus e diabo do futebol internacional

O Brasil ganhou todas as copas do mundo de futebol no reinado de João Havelange, ex-presidente da Fifa, e de seu genro, Ricardo Teixeira. Os dois são acusados de corrupção e ficaram ricos com o futebol

João Havelange e Ricardo Teixeira 1

O ex-presidente da Fifa João Havelange, que morreu na terça-feira, 16, aos 100 anos (parecia imortal), no Rio de Janeiro, era deus e diabo para o Futebol. O ex-dirigente esportivo tinha problemas pulmonares. Ele fortaleceu o futebol mundial, e muito o brasileiro, mas é acusado de, no processo, ter se locupletado, no início sozinho, depois auxiliado pelo ex-genro Ricardo Teixeira. A dupla, com mais alguns aliados, é acusada de ter havelangenizado — uma espécie de privatização – a Fifa.

Pode-se dizer que o futebol deve muito a João Havelange, assim como João Havelante deve muito ao futebol. Ele projetou o futebol e o futebol o projetou internacionalmente. Era uma espécie de rei do futebol. Ficou 24 anos no comando da Fifa, mas, mesmo tendo deixado sua direção, continuou influente na federação (supostamente, ainda recebia propinas, percentagens). Ao longo do tempo, tornou-se um homem muito rico.

João Havelange dirigiu a Confederação Brasileira de Desportos, antecessora da CBF, de 1958 a 1974, durante o período em que a Seleção Brasileira foi tricampeã mundial (na Suécia, em 1958, no Chile, em 1962, e no México, em 1970). Em 1974, assumiu a presidência da Fica, que só deixou em 1998. Depois, com o genro Ricardo Teixeira no comando da CBF, a Seleção Brasileira ganhou mais dois títulos mundiais.

A rede BBC denunciou que um tribunal da Suíça concluiu que João Havelange recebeu 6 milhões de libras esterlinas num esquema com a ISL, empresa que vendia os direitos de transmissão dos jogos da Fifa. Há outras denúncias, envolvendo tanto o ex-presidente da federação quanto Ricardo Teixeira, que dirigiu, durante anos, a Confederação Brasileira de futebol (CBF).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.