Morre irmão de Maradona, Hugo, de infarto, aos 52 anos

Jogou futebol no Napoli da Itália, no Rayo Vallecano da Espanha e em times da Áustria, do Japão e do Uruguai

Hugo Maradona: irmão de Diego Maradona | Foto: Reprodução

O ex-jogador de futebol Hugo Hernán Maradona — irmão mais novo de Diego Maradona — morreu na terça-feira, 28, aos 52, de infarto, em Nápoles. Ele morava na Itália.

Querido pela torcida do Napoli, no qual jogou, Hugo Maradona teve sua morte lamentada na Itália, sobretudo em Nápoles. O presidente do Napoli divulgou uma nota na qual diz que ele e o clube “se unem à família de Maradona, na sua dor, devido à morte de Hugo”.

Segundo o principal jornal da Argentina, o “Clarín”, “Hugo, o Turco ou Huguito, foi quem melhor definiu Diego Armando Maradona: ‘Meu irmão era um marciano’. Foi a frase que pronunciou quando tinha uns 10 anos e foi imortalizada num vídeo em preto e branco”. Maradona, acreditava, era tão bom jogador que só podia ser de outro planeta.

Diego Maradona e Hugo Maradona: ainda jovens | Foto: Reprodução

Numa entrevista concedida ao jornalista Eduardo Carpio, Hugo revelou o lugar que Maradona ocupava na sua vida: “É o meu melhor amigo, meu melhor irmão, nos dá tudo”.

Seguindo os passos do irmão, Hugo começou a jogar futebol quando menino. Na divisão de base, começou a jogar no Club Parque e no Gimnasia e Esgrima do Vélez Sarsfield e do Argentinos Juniors. “Quando Diego já estava consagrado, Hugo era ‘alcanzapelotas’ [gandula].”

Hugo consagrou-se como jogador de futebol, ainda bem jovem, no Argentinos Juniors. Pelo time jogou a Copa Interamericana de 1986, em Trinidad e Tobago. Em 1987, aos 18 anos, foi vendido para o Napoli, que o emprestou ao Ascoli. Ele também jogou no Rapid de Viena, da Áustria, no Rayo Vallecano, da Espanha, no Desportivo Italia, da Venezuela, e no Avispa Fujuoka, do Japão. Ele atuou ainda em outros times japoneses.

Diego Maradona e Hugo Maradona: irmãos e amigos | Foto: Reprodução

Hugo jogou no Uruguai e no Canadá. Em seguida, passou a treinar as categorias de base do Napoli. “Nos últimos anos, Hugo foi técnico do Real Parete, clube da terceira divisão da Itália. Em março de 2020, a Covid-19 destruiu seus projetos no time”, informa “Clarín”.

“Há um mês, quando se completou um ano da morte de Diego Maradona, Hugo foi a Nápoles para homenageá-lo e concedeu uma emotiva entrevista”, assinala o “Clarín”. “É um dia difícil, mas é preciso recordá-lo com alegria. Queremos que passe o dia rapidamente. Prometi não chorar, mas é duro”, disse à ESPN F90. “Perdão pelas lágrimas. Comigo [Diego] era mais exigente que com os demais, porque tenho um caráter forte também. Eu o enfrentava e é a mais linda recordação que tenho.”

Numa entrevista ao “Clarín”, Hugo disse sobre a possibilidade de um encontro com Maradona depois de sua morte. “Cada um acredita em Deus como quer, eu creio, sim, num reencontro. Deus é grande e sabe o que faz, fez e vai fazer.”

Hugo, Lalo (Raúl) e Diego Maradona: uma dinastia de jogadores | Foto: Reprodução

Como seria o “reencontro” entre Diego e Hugo Maradona? “Imagino o ‘reencontro’ numa mesa, com meus pais, com a gente rindo e discutindo, o que fazíamos sempre, porque discutíamos muito”, disse Hugo.

Em 30 de outubro de 2020, Hugo concedeu sua última entrevista, ao programa de Carolina Papaleo e Julián Weich, no Canal 9. Era o dia do aniversário de 61 de Maradona — que, como se sabe, viveu apenas 60 anos (nasceu em 1960 e morreu em 2020). “Não está entre nós, mas no meu coração sempre estará”, disse Hugo, com lágrimas nos olhos. “Aqui [em Nápoles] se respira futebol, como na Argentina, e os napolitanos o recordam pelo que foi e pelo que deu ao futebol. Graças a Deus o recordam como jogador. Os demais que digam o que quiserem. A mim, como irmão, me deu tudo, assim como fez com os demais irmãos.”

Nápoles é uma espécie de cidade “de” Maradona, segundo Hugo. “Em Nápoles, em qualquer lugar, Maradona é lembrado. Na cidade, ele é muito respeitado, se respeita muito o nome Maradona, e isso é reconhecido por mim e por todos os argentinos que vêm visitar os murais e os museus que há em cada esquina da cidade. Napoli deu muito ao meu irmão e meu irmão deu muito ao Napoli.”

Hugo e Diego Maradona em dois tempos: meninos e adultos | Fotos: Reproduções

Como é viver em Nápoles, cidade que Hugo escolheu para morar? “No princípio era chocante porque o napolitano é, como o argentino, muito passional. Era chocante e, no início, um pouco complicado. Porém, depois, foi algo normal.”

No Argentinos Juniors, o início

O “Clarín” conta que Roberto Saporiti foi o técnico que dirigiu a estreia de Hugo no Argentinos Juniors, quando ele tinha apenas 16 anos. Lamentando a morte de Hugo, Saporiti diz que, em 1986, Hugo estreou no time titular do Argentinos Júnior sob a proteção de vários jogadores, como Checho Batista e JJ López. O time ganhou do Platense por 1 a 0, com gol de Huguito.

Quando Diego Maradona dava seus primeiros passos na seleção da Argentina, o técnico era César Luis Menotti, auxiliado por Saporiti.

Saporiti define Hugo “como um futebolista ‘com uma grande personalidade dentro do campo de jogo’”, registra o “Clarín”.

Saporiti diz que não dá para comparar, em termos da arte de jogar futebol, Hugo e Diego Maradona. “Diego é irrepetível, porém Hugo foi um grande jogador”, afirma.

O técnico conta que treinou três jogadores da família Maradona. Além de Diego e Hugo, Saparoti foi técnico de Lalo, “o outro irmão de Diego, no Boca Juniors”. Ele frisa que a morte de Hugo o “balançou”.

A base deste texto é a reportagem “Murió Hugo Maradona, el hermano de Diego, a los 52 años”, do jornal “Clarín” (terça-feira, 28).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.