Morre, aos 78 anos, o jornalista Luiz Salgado Ribeiro, ex-repórter do Estadão

Repórter de primeira linha, que não ficava “grudado” nas redações, Luiz Salgado escreveu centenas de reportagens

Luiz Salgado Ribeiro: o repórter das ruas, não dos gabinetes | Foto: Reprodução

O jornalista Luiz Salgado Ribeiro morreu na segunda-feira, 18, aos 78 anos. Ele nasceu em São Paulo, na mesma cidade de Geraldo Alckmin e Ciro Gomes — Pindamonhangaba, em São Paulo.

Luiz Salgado Ribeiro foi repórter do “Estadão” e trabalhou como correspondente do jornal no Estado do Amazonas.

Em seguida, o jornalista editor seu próprio jornal, em Mato Grosso.

Ele escreveu o livro “Andanças — Histórias de um Jornalista à moda Antiga” (Primavera Edu, 320 páginas).

Leia a sinopse do livro “Andanças”

“Luiz Salgado Ribeiro é o que chamamos de um jornalista das antigas. Iniciou sua carreira em 1964, como copidesque no jornal ‘A Gazeta’ e não parou mais. Desbravou o Brasil, trazendo notícias de vilarejos distantes e até mesmo de índios gigantes. Criou o próprio jornal, foi ‘cônsul’ e até ‘doutor’. Em suas andanças, fez bons amigos; amigos fiéis, que não podiam faltar em seu livro.

“Quem assina o prefácio é Raul Martins Bastos, colega de profissão, que durante muito tempo, comandou as sucursais e correspondentes do jornal ‘O Estado de S. Paulo’. Outro amigo leal é Moacyr Castro, responsável pelo texto de quarta capa.

“E quem melhor para escrever sobre as aventuras do Senhor Aventura? Esta é uma obra rara, que narra as histórias de um jornalismo mais heroico, sem apoio de toda a tecnologia existente atualmente; jornais forjados com suor e perseverança; jornalistas que não ficavam sentados aguardando a notícia e sim iam para campo, faziam a notícia. Luiz Salgado Ribeiro proporcionou mudanças, mostrou um novo jeito de fazer jornais, elegeu políticos.

“Mesmo depois de tantos anos, ainda tem fôlego para nos presentear com o seu primeiro romance de memórias. Uma vida tão bem-vivida não podia ficar sem registro. Com excelentes histórias — aquelas que somente os grandes repórteres sabem contar —, Luiz Salgado Ribeiro ‘leva’ o leitor à inauguração da Cuiabá-Santarém, na década de 1970; coloca-o frente a frente, na expedição dos irmãos Villas-Bôas, com os índios gigantes no Kuarup; e convida-o a enfrentar e burlar a censura dos militares à imprensa. Um livro que promete agradar os velhos companheiros de profissão, os jovens jornalistas e interessados na história da imprensa brasileira.” (Da editora)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.