Milícia pode ter matado jornalista que escreveu livro sobre Marielle Franco

Pistoleiros demonstraram profissionalismo. Atiraram de dentro de um automóvel e mataram o escritor e capoeirista

Leuvis Manuel Oliveiro era crítico das milícias que atuam no Rio de Janeiro | Foto: Twitter

O jornalista, escritor e capoeirista Leuvis Manuel Olivero, o Leu, foi assassinado, no dia 10 de outubro, e até agora a polícia não tem pistas dos assassinos. Há suspeita de que tenha sido morto por milicianos. Porque, além de criticar a ação das milícias, Leuvis Olivero é autor do livro “Memória Vida”, sobre a vereadora Marielle Franco, assassinada, em 2018, ao lado de seu motorista, Anderson Gomes.

Homens que estavam num carro, numa rua da Barra da Tijuca, atiraram e mataram Leuvis Olivero. Há indícios de que os pistoleiros são profissionais. O escritor morreu na hora.

Nascido na República Dominicana, Leuvis Olivero tinha cidadania norte-americana e publicou 11 livros. Ele tinha 38 anos.

Marielle Franco e Leuvis Manuel Olivero | Fotos: Reprodução

Não é mera coincidência, diz Petra Costa

A diretora de cinema Petra Costa escreveu nas redes sociais: “Leuvis Manuel Olivero, autor do livro sobre Marielle Franco, mostrava as ligações da milícia no crime da vereadora. Foi assassinado enquanto caminhava na rua, por tiros disparados de dentro de um carro. Isso não é mera coincidência”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.