Arnaldo Duran, de 68 anos, teria sido demitido da TV Record porque tem síndrome de Machado-Joseph, doença degenerativa do sistema nervoso. Mas a rede de televisão, de acordo com o jornalista, divulgou que o afastamento teria a ver com seu “alto salário”.

“A minha demissão foi um ato desumano. Além de tudo o que aconteceu, a Record espalhou que me demitiu por causa do salário alto. Já me queimou no mercado. [Os contratantes pensam:] ‘eu não vou contratar o cara porque não tenho dinheiro para pagar’. E espalhou pelo mundo inteiro também que eu tenho a doença neurológica degenerativa”, denuncia Arnaldo Duran.

O jornalista acrescenta que a Record, mesmo ele estando doente, retirou-lhe o plano de saúde da Life Empresarial — que, assegura, é do bispo Edir Macedo.

Por ter sido maltratado, Arnaldo Duran decidiu pôr a boca no trombone. O jornalista garante que deu 1 milhão de reais à Igreja Universal. Ele tem alguns recibos para provar parte das doações. “Eu dava dinheiro pra Igreja Universal porque fui enganado, acreditava no que eles falavam. É tudo balela, aquele é um negócio de arrecadação de dinheiro.”

O jornalista relata que, apesar de ter doado uma quantia vultosa, era pressionado para repassar ainda mais à Igreja Universal.