Euler de França Belém
Euler de França Belém

Mário Magalhães lança biografia do século 20

O ex-ombudsman da “Folha de S. Paulo” reapresenta o caso Marielle, menciona o Dr. Bumbum e discute Lula e Bolsonaro

Enquanto carrega pedras, a biografia de Carlos Lacerda — que, sim, foi bom governador na Guanabara —, o jornalista e pesquisador Mário Magalhaes lança em maio o livro “Sobre Lutas e Lágrimas — Uma Biografia de 2018” (Record, 330 páginas). Como não li, transcrevo a síntese da editora: “Um livro indignado, escrito em um tempo que exige indignação. Com o rigor dos grandes repórteres e a vivacidade dos melhores ensaístas, o premiado jornalista Mário Magalhães, autor de ‘Marighella — O Guerrilheiro Que Incendiou o Mundo’, apresenta um retrato do Brasil de 2018, escrito a quente, no olho do torvelinho.

“Os protagonistas são Marielle Franco, Jair Bolsonaro e Luiz Inácio Lula da Silva. O autor articula de forma magistral acontecimentos e personagens como: a caçada irracional a macacos considerados transmissores da febre amarela, a intervenção militar no Rio de Janeiro, o assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes, a prisão de Lula, a paralisação dos caminhoneiros, o Dr. Bumbum, a ascensão da censura, a tragédia do feminicídio, a queda de Neymar na Copa, o delírio Ursal, o espectro do nazifascismo, o incêndio no Museu Nacional, a violência no processo das eleições, a facada em Bolsonaro, a ilusão do vira-voto, o triunfo da extrema direita, o ‘ninguém solta a mão de ninguém’… E também o clã Bolsonaro e suas ligações perigosas, o ideário obscurantista do novo governo, a pregação do movimento Escola Sem Partido, a luta contra as trevas, entre outros eventos que fizeram de 2018 um ano que tão cedo não vai terminar.”

Mário Magalhães e a biografia do guerrilheiro Carlos Marighella | Foto: Reprodução

Carlos Marighella

Há quem questione a magnífica biografia de Carlos Marighella, como se um indivíduo de esquerda não merecesse uma pesquisa alentada como a de Mário Magalhães. (Quando penso neste livro lembro-me de imediato de “Che Guevara — Uma Biografia”, de Jon Lee Anderson, dada a excelência da pesquisa e da escritura.) O guerrilheiro é o centro da obra, mas o jornalista, tão rigoroso quanto os melhores historiadores, produziu uma radiografia do século 20 brasileiro. E não só, é claro, pois o Brasil não estava e não está desconectado do mundo.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.