Euler de França Belém
Euler de França Belém

Mariana Godoy trabalhou 23 anos na Globo mas só agora revela que lá é o Inferno de Ali Kamel

Não dá para acreditar que na TV Globo só tem bobos e que todas as perguntas para os entrevistados são feitas pelo diretor de Jornalismo. Ela desmerece todos os ex-colegas

 

Pode ser qualificada como masoquista uma pessoa que trabalhou descontente durante 23 anos seguidos na mesma empresa e nunca se rebelou? Talvez não e também não se pode dizer que Mariana Godoy é masoquista; pelo contrário, trata-se de uma jovem de sorrisão aberto, de presença delicada e competente. Porém, ao deixar a TV Globo, onde trabalhou por duas décadas e mais três anos — uma geração —, decidiu “atirar” e, claro, agradou os adversários de sempre da empresa da família Marinho.

Palavras de Mariana Godoy: “Todas as perguntas que você vê um apresentador fazer, incluindo o William Bonner, é o Ali Kamel que escreve”. Ali Kamel é o diretor geral de Jornalismo da Globo. Quem teria o dom da onipresença: Mariana Godoy ou Ali Kamel? Não se sabe. Mas o que se depreende é que ela via tudo e ele faz tudo na Globo. Para que a informação seja levada em consideração, como bem informada e precisa e não motivo de possível raiva circunstancial, outros depoimentos precisam ser colhidos e divulgados. Com a introdução de alguma nuance, talvez seja possível admitir que Ali Kamel não é nenhum Stálin do jornalismo patropi.

Há determinados problemas na fala de Mariana Godoy. Citemos quatro, mas há outros.

Primeiro, Ali Kamel, aparente motivo de sua raiva atual, não está no comando do jornalismo da Globo há 23 anos. Pelo contrário, assumiu há pouco tempo; antes, trabalhava no jornal “O Globo” e não há nenhuma informação de que dava um segundo expediente na TV Globo.

Segundo, como alguém pode ficar em silêncio por mais de 20 anos, mesmo discordando do que via, ouvia e tinha de fazer? Esta pessoa pode ser qualificada de omissa ou de quê?

Terceiro, acreditar que Ali Kamel faz todas as perguntas, algo tão surrealista, é sugerir que só há bobos na TV Globo; o que, claro, não é crível. A própria Mariana Godoy era uma presença inteligente na Globo. Na verdade, ela desmerece todos seus ex-colegas.

Quarto, na questão da liberdade, vale explicitar que o Grupo Globo é um empreendimento particular. Os que discordam de suas ideias, como Mariana Godoy, podem até apresentar outras, mas, em caso de voto vencido, aceitam-nas ou devem sair. A liberdade de imprensa da qual se fala sempre é uma ficção. Não existe em lugar algum do mundo.

A raiva costuma paralisar a razão. Parece ser o caso. Os adversários tradicionais da Globo, especialmente blogueiros que já trabalharam na chamada Grande Imprensa — e, nesse período, mantiveram-se silentes —, adoraram a fala de Mariana Godoy. Chegaram até a dizer que tem “autoridade”. Bater nos chamados “grandões” é sempre agradável, simpático e, claro, populista.

2 respostas para “Mariana Godoy trabalhou 23 anos na Globo mas só agora revela que lá é o Inferno de Ali Kamel”

  1. Donizete Santos disse:

    Na veia o comentário do sensato e competente Euler Belém.

  2. Víbora Brasileira disse:

    Você provavelmente deve ser algum jornalista funcionário da Globo. Eu até penso ser natural em você se doer e achar algo ”injusto” alguém como a Mariana levantar supostas falsas ”acusações” contra o seu patrão, o ”Todo-Poderoso” Ali Kamel; mas, convenhamos, vamos relevar que a Mariana tenha sido uma jornalista omissa em ter aceitado tanta ditadura, falta de ética e respeito de Ali Kamel pelos funcionários da Globo, mas não existe tantas opções e variedades de emissoras pra seguir uma carreira de jornalismo no Brasil. Aqui neste país, a imprensa é de uma pobreza e leviandade sem precedência na história do jornalismo mundial. Sem contar que a Globo sempre teve o monopólio de toda a comunicação no Brasil. Começando que, neste país portador de uma sub-intelectualidade e pobreza mental cruelmente chocante e de um povo baderneiro, ultra-violento e sem cultura alguma, todas as emissoras são concessões pública do governo; ou seja, toda a imprensa trabalha e é sustentada pelo governo através de bilionárias verbas estatais. Então, aí eu pergunto: todos vocês jornalistas não seriam tão omisso quanta a Mariana Godoy, que apenas constatou e confessou uma realidade conhecida por muitos? Não falta muita vergonha na cara e falta de caráter em vocês? Ali Kamel é apenas mais um dos muitos membros do corpo pútrido dessa ditadura midiática que existe nesse país desde sempre. No Brasil, jornalista não tem opinião, tem opinião editada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.