Euler de França Belém
Euler de França Belém

Manter Paulo Maluf na cadeia aos 86 anos é vingança e não justiça

Há notícia de que nas penitenciárias brasileiras há assassinos e estupradores de quase 90 anos? Justiça deveria “tomar” bens do político

Paulo Maluf: preso pela Polícia Federal

Paulo Maluf, o rei do malufício, é indefensável. Corrupto até a medula, apesar de rico — brasileiros têm o hábito de sugerir que quem é rico, se se tornar político, tende a não gatunar —, não merece confiança alguma. Quem sugerir que vale alguma coisa por certo será acusado de malufar.

Não malufei e não me tornei advogado de defesa de Paulo Maluf. Mas prendê-lo aos 86 anos, depois de tantos anos de roubalheira, não é aplicação de justiça — e sim de vendeta. É o Estado, por meio do Judiciário, vingando-se de um homem da elite, um “inclusivo” que, finalmente, decidiram “excluir”.

Por mais que um laudo médico garanta que Paulo Maluf pode ser preso, sem maiores consequências para sua saúde, é de se duvidar de uma conclusão desta natureza. Sem contar a falta de humanidade. Cabe até perguntar: há nas prisões brasileiras algum assassino ou estuprador com 86 anos? Não há, decerto. Um corrupto é pior do que um assassino ou um estuprador? Não é, claro.

Há quem perceba a prisão de Paulo Maluf como pedagógica. Não há como discordar de que há certa lógica no raciocínio. Porém, e se o ato do ministro do Supremo Tribunal Federal for produto mais de uma ação populista do que educativa? Prender um político que foi governador de São Paulo, prefeito de São Paulo, candidato a presidente da República — com o apoio de um homem decentíssimo, Golbery do Couto e Silva, o mais civil dos generais — e é deputado federal garantirá um lugar na história para Edson Fachin, um dos mais qualificados ministros do STF, ao lado de Celso Mello e Gilmar Mendes (que, sozinho e intimorato, está lutando contra o populismo jurídico que está tornando o Brasil um sertão de 200 milhões de justiceiros e cangaceiros).

Cadeia é lugar de assassinos e estupradores, que devem ser excluídos da sociedade por um certo período — de preferência, que seja longo. Talvez não seja o lugar adequado para corruptos, embora eu não seja necessariamente contrário à prisão deles. A penalidade mais eficiente para corruptos é tomar-lhes os bens, é fazê-los devolver dinheiro ao Erário. Tornar um corrupto mais pobre, com a devolução de dinheiro ao Estado, é uma pena que, embora não pareça, é duríssima. Paulo Maluf, mesmo numa penitenciária, como a Papuda, devolveu quanto ao setor público? Se nada devolveu, ou se devolveu quase nada, a pena de prisão não tem nenhuma importância. A Justiça está jogando pra plateia e tentando transformar o povo em patuleia.

Portanto, solte Paulo Maluf, ministro Edson Fachin, e faça com que a Justiça tome parte de seus bens. A pena atingirá tanto o deputado federal quanto aqueles que, como herdeiros, vão continuar usufruindo o patrimônio anabolizado por práticas delitivas.

O populismo caboclo cobra sangue — dos ricos, como nas cruentas Revolução Russa de 1917 e Revolução Chinesa de 1949 —, quando devemos cobrar justiça. Paulo Maluf na cadeia aos 86 anos, e doente — o padecer de um homem velho começa pela própria velhice, que é um massacre, sugere Philip Roth no romance “Homem Comum” —, diz respeito mais ao sentimento justiceiro, e nada mais.

8 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
8 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Val

Os corruptos agradecem. Agora compreendo porque são invencíveis.

Antonio Carlos de Ayres Costa

Sou contra a prisão de Paulo Maluf. Com 86 anos, frágil e ainda passar o Natal na cadeia é extremamente desumano. A devolução dos bens adquiridos de forma ilícita sou a favor. Agora o curioso é que os que realmente causaram um tsunami ao Brasil estão soltos, ricos e com mordomias. Será que a justiça tem medo deles?

Montezuma Cruz

Seu raciocínio é lógico e correto, Euler. O jogo incessante para a plateia não nos tira essa milenar indecência da corrupção. Na situação do Sr. Paulo Maluf, a prisão é tardia e pouco contribui para o ressarcimento dos cofres públicos.

Lola

Antes tarde do que nunca e que apodreça na cadeia e seja lembrado como ladrão que morreu dentro do presídio cumprindo pena! Que as coisas comecem a mudar e que outros Malufs não demorem tanto tempo procrastinando a aplicação da justiça pra serem presos somente à beira da morte. A prisão de corruptos é sim da mesma importância que a de tantos outros criminosos que muitas vezes praticam crimes pois vêem na delinquência a única oportunidade de sobreviver, pois todas as outras, de educação, saúde, lazer, foram roubadas por políticos corruptos que gozam da boa vida roubando o dinheiro que… Leia mais

Sandra

Qual a diferença dele para um assassino? Não vejo nenhuma. A justiça deve retirar os bens e deve mantê-lo recluso. Creio que este texto expõe bem o pensamento de desigualdade social e humana. Como teremos uma justiça justa, se nós mesmos cidadãos defendemos corruptos. Deveria estar escrito neste texto uma defesa para todos os idosos que estão reclusos nas penitenciárias, vivendo em condições subumanas. Acredito que ele não está nessa situação. E aquela mãe que está reclusa por furtar bandejas de frango e ovos de Páscoa. Ela tem filhos menores de 12 anos, os direitos não estão sendo violados neste… Leia mais

Marcelo

Opinião muito sensata. Concordo que faria muito mais sentido fazê-lo devolver o dinheiro ao Erário. Prender um homem doente, de 86 anos, ao meu ver, tem mais caráter de vingança do que de justiça.

Joe

Entao na sua concepcao, roubar vale a pena. Se te pegarem voce devolve o dinheiro. Se ninguem pegar, voce continua com o dinheiro. Assim a corrupcao nao vai acabar nunca.
Tem que ir preso E devolver o dinheiro em dobro!

Donizete A.Silva

Apesar de tantos problemas, PARABÉNS Sr. Maluf pelo seu aniversário ocorrido ontem, 03set18!!! Mesmo que haja culpa, é desumano mantê-lo preso!! Há tantos que fizeram coisas piores que o senhor e, infelizmente, estão soltos, uma injustiça!!! Grande abraço