Euler de França Belém
Euler de França Belém

Livro resgata a história das mulheres que lutaram na guerrilha da ALN

Livro conta como as mulheres atuaram tanto na linha de frente quanto nos bastidores da Ação Libertadora Nacional

Foto:Reprodução

O jornalista, escritor e pesquisador Luiz Maklouf Carvalho escreveu um excelente livro sobre a participação das mulheres na luta armada no Brasil, entre as décadas de 1960 e 1970. “Mulheres Que Foram à Luta Armada” foi publicado pela Editora Globo em 1998. Vinte anos depois, mantém a excelência e merece nova edição — revista ou não. Agora, num livro de perfil aparentemente mais acadêmico (ainda não o li), a doutora em história Maria Cláudia Badan Ribeiro lança “Mulheres na Luta Armada — Protagonismo na ALN” (Alameda, 572 páginas). O repórter Renato Dias, especializado no tema “lutas das esquerdas”, garante que o livro é, de tão bom, do balacobaco.

Maria Cláudia mostra no livro, afirma Renato Dias, o intenso trabalho das mulheres tanto na linha de frente da guerrilha quanto na operação dos bastidores, na formatação da logística. A Ação Libertaadora Nacional, criada por Carlos Marighella, foi a mais importante organização de esquerda guerrilheira na década de 1960. No início da década de 1970, com Marighella morto pelo grupo do delegado Sérgio Fleury, foi dinamitada pela repressão.

Deixe um comentário