Euler de França Belém
Euler de França Belém

Livro conta a história do frei Tito de Alencar, que, torturado por Sérgio Fleury, se matou na França

Torturadíssimo pelo delegado Sérgio Fleury, o frei Tito de Alencar não se recuperou. Permaneceu um torturado, mesmo exilado na França, onde se matou. Sua dolorosa história ganha finalmente uma biografia ampla: “Um Homem Torturado — Nos Passos de Frei Tito de Alencar” (Civilização Brasileira, 420 páginas), de Clarisse Meireles e Leneide Duarte-Plon.

Trecho do release fornecido pela editora à Livraria Cultura:

“Contar a história de Tito é se debruçar sobre o momento histórico da ditadura civil-militar, instalada em plena guerra fria, quando a luta contra o comunismo era a principal preocupação do bloco ocidental liderado pelos EUA. A ditadura, que se instalou com o incrível nome de revolução, fechou o Parlamento, governou com os atos institucionais e colocou na prisão os opositores políticos que resistiam com ou sem armas.

“Frei Tito foi um dos que não se calaram e preferiram combater a ditadura sem armas, com a força das ideias e dos ideais de justiça social. Na Universidade de São Paulo, onde participava ativamente do movimento estudantil, Tito chegou a ter momentos de dúvida e de incerteza sobre a possibilidade de conciliar Marx e Cristo.

“Assim como Tito, outros frades foram encarcerados porque eram considerados ‘terroristas’ por terem feito a ‘opção preferencial pelos pobres’ pregada pelo Concílio Vaticano II. Eram ‘subversivos’ por praticarem um Evangelho que tenta transformar o mundo. Eram ‘perigosos’ porque pregavam a liberdade e a igualdade. O ‘ópio do povo’ estava do outro lado, do lado da Igreja conservadora que não entendia aquele combate.”

Deixe um comentário