Euler de França Belém
Euler de França Belém

Livro conta a história do frei Tito de Alencar, que, torturado por Sérgio Fleury, se matou na França

Torturadíssimo pelo delegado Sérgio Fleury, o frei Tito de Alencar não se recuperou. Permaneceu um torturado, mesmo exilado na França, onde se matou. Sua dolorosa história ganha finalmente uma biografia ampla: “Um Homem Torturado — Nos Passos de Frei Tito de Alencar” (Civilização Brasileira, 420 páginas), de Clarisse Meireles e Leneide Duarte-Plon.

Trecho do release fornecido pela editora à Livraria Cultura:

“Contar a história de Tito é se debruçar sobre o momento histórico da ditadura civil-militar, instalada em plena guerra fria, quando a luta contra o comunismo era a principal preocupação do bloco ocidental liderado pelos EUA. A ditadura, que se instalou com o incrível nome de revolução, fechou o Parlamento, governou com os atos institucionais e colocou na prisão os opositores políticos que resistiam com ou sem armas.

“Frei Tito foi um dos que não se calaram e preferiram combater a ditadura sem armas, com a força das ideias e dos ideais de justiça social. Na Universidade de São Paulo, onde participava ativamente do movimento estudantil, Tito chegou a ter momentos de dúvida e de incerteza sobre a possibilidade de conciliar Marx e Cristo.

“Assim como Tito, outros frades foram encarcerados porque eram considerados ‘terroristas’ por terem feito a ‘opção preferencial pelos pobres’ pregada pelo Concílio Vaticano II. Eram ‘subversivos’ por praticarem um Evangelho que tenta transformar o mundo. Eram ‘perigosos’ porque pregavam a liberdade e a igualdade. O ‘ópio do povo’ estava do outro lado, do lado da Igreja conservadora que não entendia aquele combate.”

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.