Euler de França Belém
Euler de França Belém

Livro aponta revolução russa e realça a revolução democrática de Kerensky

Obra de Marcel Novaes reabilita a revolução democrática que Lênin e Trotski destroçaram

Pode ser abrangente um livro de apenas 279 páginas a respeito de um assunto amplíssimo? Sim. “Do Czarismo ao Comunismo — As Revoluções Russas do Início do Século XX” (Três Estrelas), de Marcel Novaes, só tem 279 páginas e, por incrível que pareça, dá conta de seu tema. E de maneira extremamente perspicaz.

A tendência é a valorização tão-somente da Revolução Russa de 1917, que está completando 100 anos. Marcel Novaes vasculha, além do governo czarista, o que chama de revoluções russas. Sim, porque, ao contrário do que tradicionalmente se imagina, há — além da revolução de Lênin e Trotski, a de outubro de 1917 — a revolução democrática de Kerensky, entre março e outubro de 1917. Tal experiência é menos conhecida, soterrada pela vitória dos comunistas, que a encobriram, tornando-a não um avanço, o que era, e sim um recuo reformista, o que não era. A democracia, no caso da Rússia pré-soviética, era, isto sim, a grande revolução, mais do que uma evolução.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.