Euler de França Belém
Euler de França Belém

Livraria Cultura deve vender a Estante Virtual para o Magazine Luiza

A casa livreira da família Herz “pede mais prazo pagar as editoras” e clama “pelo fornecimento de livros”, por causa do Natal                  

Vou ao Centro de Goiânia quase sempre para procurar livros nos sebos, notadamente no Didática, de Juari, e no Opção Cultural, de Lúcio. Os dois sempre dizem a mesma coisa: o portal Estante Virtual — a Uber do livro — está “salvando” seus negócios. Não fosse o site que reúne os principais sebos do país, os empreendimentos estariam em maus-lençóis.

Sérgio Herz, CEO da Livraria Cultura: lutando contra a crise | Foto: Reprodução

Compro livros há anos da Estante Virtual e só tive problemas duas vezes. Uma vez o vendedor não me enviou o livro pedido — da escritora canadense Elizabeth Smart — e, como compensação, remeteu um livro de Paulo Coelho. Outra vez o livro não chegou, mas o sebo insiste que enviou. Se o fez, o Correios não entregou.

A Estante Virtual é um sucesso, inclusive financeiro — tanto que a Livraria Cultura, da família Herz, o adquiriu, em 2017. Agora, em crise, a Livraria Cultura deve vender o portal para o Magazine Luiza. O Publishnews informa que haverá um leilão. A assessoria do Magazine Luiz divulgou uma nota: “A Estante Virtual é um ativo da Livraria Cultura e, como parte do Processo de Recuperação Judicial da empresa, que está em andamento, há intenção de vendê-lo. Se determinadas condições forem cumpridas e o juiz competente aprovar, o Magazine Luiza poderá adquirir a Estante Virtual — após a publicação de edital e transcorrência de prazos legais”.

Na sexta-feira, 29, a repórter Maria Fernanda Rodrigues, do “Estadão”, publicou na coluna “Babel”: “A Livraria Cultura” pediu “mais prazo para pagar as editoras e” clama “pelo fornecimento de livros neste [Natal] que é um dos melhores períodos do ano para o setor”.

A Livraria Cultura solicita o adiamento de “pagamentos atrasados”. A empresa quer o parcelamento dos “novos faturamentos em quatro vezes, pagando a partir de janeiro”. “Não queremos e nem podemos perder a venda de Natal”, diz e-mail dos Herz enviado aos fornecedores.                                                                                                                                                  Leia mais sobre a Livraria Cultura e Pedro Herz       

Pedro Herz conta a história da Livraria Cultura, a mais charmosa do Brasil

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.