Euler de França Belém
Euler de França Belém

Justiça decide pela condenação de Paulo Henrique Amorim por crime de racismo

Racismo do editor do blog Conversa Afiada “esconde” o fato de que se tornou companheiro de jornada do PT contra o PSDB

Jornalistas Paulo Henrique Amorim e Heraldo Pereira | Fotos: reprodução/ WikiCommons

Jornalistas Paulo Henrique Amorim e Heraldo Pereira | Fotos: reprodução/ WikiCommons

O jornalista Paulo Henrique Amorim foi condenado pela Justiça à prisão por crime de racismo (injúria racial) contra o jornalista Heraldo Pereira, da TV Globo. O editor do blog Conversa Afiada poderia ter se retratado, durante o desenvolvimento do processo, mas preferiu recorrer das condenações.

Uma interpretação puramente pessoal: não me parece que Paulo Henrique Amorim seja um racista empedernido. Mas o que escreveu sobre Heraldo Pereira é inominável: seu colega de profissão seria “negro de alma branca”. Numa tentativa de se justificar, para atenuar a pena, o editor do “Conversa Afiada” afirmou que quis dizer que o profissional da Globo não defende os negros. Mesmo que isto fosse verdade, e certamente não é, a agressão denota um extremismo que beira o irracionalismo, ainda mais por ter sido feita por um jornalista qualificado.

É provável que Heraldo Pereira, jornalista de primeira linha, tenha sido um “peão” no jogo de Paulo Henrique Amorim contra a Rede Globo. Nos últimos anos, desde que se aproximou do PT e passou a defendê-lo, o editor do Conversa Afiada se tornou um crítico contundente e excessivo dos veículos da família Marinho.

O racismo “recente” de Paulo Henrique Amorim esconde uma questão política — a opção política do jornalista. Ele se tornou um companheiro de jornada do PT contra o PSDB. A Globo e seus funcionários de proa seriam espécies de “cabos eleitorais” do tucanato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.