A juíza Maria Marlene Maciel Queiroz proibiu a circulação da “IstoÉ” e mandou recolher os exemplares em circulação devido a uma denúncia de que o governador do Ceará, Cid Gomes, mantinha relações espúrias com o ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa. Se descumprir a determinação da juíza, a publicação da Editora 3 terá de pagar multa de 5 milhões de reais.

Ao decidir pró-Cid Gomes, a magistrada escreveu: “o autor [Cid Gomes] encontra-se na iminência do perigo de ver o seu nome envolvido em uma situação cuja futura ação apreciada pelo Poder Judiciário, ante ser notório que os fatos ainda estão em fase de investigação tramitando em segredo de Justiça”.

A revista percebe o ato de Cid-Justiça do Ceará como censura e vai apresentar sua defesa.