Euler de França Belém
Euler de França Belém

Jovem Pan tenta explicar “afastamento” de Marco Antônio Villa

No comunicado, a direção da empresa não menciona o nome de seu comentarista político

Marco Antonio Villa é tolerado como crítico da esquerda mas não como crítico da direita? O comentarista teria se tornado “vítima” do liberalismo que tanto defende? | Foto: Reprodução

O historiador Marco Antônio Villa não se tornou comentarista da Jovem Pan ontem. Portanto, seu comportamento — é um crítico radical e visceral — não era e não é estranho à diretoria da rádio. Mas, de repente, foi retirado do ar. Disseram-lhe que estava de férias, mas o comentarista contestou, sugerindo que não estava em férias nem havia sido demitido. Na prática, o afastamento foi uma tentativa de enquadrá-lo? É o mais provável.

Marco Antônio Villa, como crítico da esquerda, agradava a Jovem Pan mas deixou de agradar ao se tornar crítico da direita no poder? Quando criticava a esquerda “não exagerava”, mas, ao passar a criticar o governo do presidente Jair Bolsonaro, passou a ser visto como radical e excessivo?

Na quinta-feira, 30, a Jovem Pan divulgou um comunicado (leia abaixo), mas não menciona o nome de Marco Antônio Villa. O que sugere que se trata de um recado, não só para o comentarista, mas para outros profissionais que trabalham na rádio.

Comunicado oficial da Jovem Pan

Confrontado com versões e rumores envolvendo um integrante do nosso quadro de profissionais, o Grupo Jovem Pan tem a comunicar o seguinte:

  1. Preferimos restringir ao âmbito interno da empresa discordâncias entre colaboradores e direção da empresa;
  2. O Grupo Jovem Pan foi pioneiro na intensificação do debate político com a contratação de comentaristas com diferentes pontos de vista, que sempre se manifestaram livremente;
  3. O apreço do Grupo Jovem Pan pelo convívio dos contrários – sem o qual não existe democracia real – é atestado diariamente pelo conteúdo da nossa programação;
  4. O Grupo Jovem Pan jamais cedeu a pressões de governantes e nunca transformou a liberdade de expressão em moeda de troca;
  5. Vale frisar que o atual governo federal não fez chegar ao Grupo Jovem Pan qualquer crítica ao desempenho dos nossos profissionais;
  6. Fiel à própria história, o Grupo Jovem Pan seguirá orientado pelo amor à verdade e pelo respeito ao público, que vem homenageando esse comportamento com recordes de audiência e com a consolidação da credibilidade que merece um trabalho sério e sóbrio;
  7. O Grupo Jovem Pan entende que esse mesmo respeito ao público impõe aos seus comentaristas limites que separam a crítica substantiva da adjetivação grosseira. Quando tal barreira é ultrapassada, cabe à direção da empresa aplicar medidas que garantam a volta à normalidade.

Direção do Grupo Jovem Pan

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Marlus E Santos

Só é bom falar mal do PT, mas qdo fala mal do Bozo e colocado na geladeira. E viva a nova política.

Cleves Caetano

Marco Villa Ele é um esquerdista essa é a verdade, criticar é uma coisa porém ele vinha fazendo comentários muito grotescos contra o atual governo e até aos seus apoiadores, eu já nem assistia mais a Jovem Pan por causa dele.

Jaudo Oliveira

Se uma empresa de rádio comunicação que sempre cobrou um direito de imprensa livre como é possível agora censurar um dos mais competente e profissional funcionário da sua bancada?. Será que eu tou maluco.

Anselmo Gomes

Com toda inteligencia do professor,,,embora sábio do que vou dizer, ele esqueceu q a imprensa pertence ao sistema dominante,ele um fenômeno encontrado no meio dos gados q somos nós,,ele foi tirado usado eqto útil, e agora excluído depois de cumprido os interesses da cúpula que nos bastidores estão ligados sim, ao sistema dominante. Esse modelo criado pelo os Patrícios na Grécia antiga, onde oq domina plenamente cria uma falsa oposição para fingir uma falsa democracia, isso nunca vai mudar no mundo. E ooo vida de gado,,povo marcado eu ,,povo feliz kkkk

Carol Matos

Augusto Nunes se encaixa nesse perfil, constantemente faz declaraçoes grosseiras, e nem por isso foi afastado.

Ronaldo

Jovem Pan vivemos em um país democrático, onde o debate de idéias faz parte desta conjuntura. Sem Marco Antônio Villa, Jornal da Manhã perdeu a graça. Não ouço ou assisto depois de seu “afastamento”.