Euler de França Belém
Euler de França Belém

Jornalista de televisão é assassinado e criminosos esquartejam e queimam partes de seu corpo

José Yactayo Rodríguez, de 56 anos, era um dos modernizadores da televisão do Peru. A polícia tem o nome de dois suspeitos

José Yactayo Rodríguez: jornalista peruano assassinado e esquartejado

O jornalista Tim Lopes foi assassinado e teve seu corpo esquartejado e queimado por narcotraficantes, no Rio de Janeiro, em 2002. Ele tinha 51 anos e era um dos mais importantes jornalistas investigativos da TV Globo. O Peru agora tem o seu Tim Lopes, o jornalista José Yactayo Rodríguez, de 56 anos, assassinado (“estrangulado e esquartejado com uma serra elétrica”), em 25 fevereiro, na capital, Lima. Ele tinha forte atuação na televisão do país. Não há indícios de que o crime tenha a ver com tráfico de drogas. A polícia já tem o nome de dois suspeitos, que seriam do círculo de parentes e amigos do profissional. “Estamos recolhendo maiores evidências para evitar qualquer erro. Mas identificamos duas pessoas, que são amigas ou parentes da vítima”, disse uma fonte policial ao jornal “Trome”. O veículo de comunicação peruano chega a mencionar dois prenomes — Marcos e Orlando. Uma das apostas da polícia é de que, dada a brutalidade, o crime tenha sido cometido por vingança.

José Yactayo, mais conhecido como Pepe Yactayo, sabia tudo de televisão. Havia sido cinegrafista, editor, produtor e roteirista. Os jornais apontam-no como um dos modernizadores da TV peruana. Ao apresentar seu perfil profissional, no LinkedIn, escreveu: “Nenhum artifício tecnológico tem valor por si se não estiver articulado a uma estratégia de comunicação humana”.

Pedaços do corpo de Pepe Yactayo foram encontrados pela polícia numa maleta. Os criminosos — a polícia sugere que são dois — colocaram fogo na maleta, mas, como choveu, ela ficou praticamente intacta e, por isso, o jornalista pôde ser identificado (devido a uma tatuagem e, sobretudo, às impressões digitais da mão direita; a esquerda ficou queimada).

Na edição de quarta-feira, 8, o jornal peruano “Trome” publicou novas informações sobre o assassinato. A polícia descobriu que um dos assassinos usou o celular do jornalista durante alguns dias. Depois, o vendeu. O celular foi encontrado pelo sistema de geolocalização.

O crime e o laptop

O repórter havia saído com amigos para beber e voltou para casa. Recebeu uma mensagem por meio do Facebook e saiu de novo (o que sugere que não tinha receio de encontrar-se com a pessoa). Ele deixou o laptop ligado, inclusive sem sair do Facebook, o que sugere que pensava em voltar logo. A polícia peruana descobriu que o laptop de Pepe Yactayo foi utilizado nos dias em que estava desaparecido, segundo registro do “Trome”. O jornal “El Comercio” relata que a Divisão de Investigação Criminal (Dirincri) descobriu que “um amigo do jornalista havia entrado na sua casa, em San Luis, e usado o seu computador”. A base de sua informação é o “Trome”, o jornal peruano que mais está dando destaque ao caso.

A polícia está examinando vídeos gravados por câmeras para verificar com quem o jornalista saiu no dia em que foi “capturado”. Policiais continuam procurando a cabeça e os membros inferiores do corpo de Pepe Yactayo.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.