Euler de França Belém
Euler de França Belém

Jornalista da TV Globo revela ter depressão e admite que tomava medicamentos errados

Psiquiatra descobriu que Jorge Pontual “tem variação de” um ” gene que o faz metabolizar remédios tão depressa a ponto de não surtirem efeito”

O que fazer com a depressão: escondê-la? Não dá mais. O fenômeno, gigante e internacional, não cabe mais debaixo do tapete; e, se é um problema, nada tem de vergonhoso. É rara a família que não tem um deprimido — meu pai, Raul de França Belém, era depressivo (tomou medicamentos durante anos — melhorava e piorava: era a ciranda, o eterno-retorno). É possível criticar a medicalização excessiva e nem sempre compatível com a necessidade dos indivíduos, mas não há dúvida de que, se não operam milagres, os antidepressivos, receitados de maneira (mais) precisa e observando a especificidade das pessoas, colaboram para melhorar a qualidade de vida dos pacientes e, sim, de suas famílias. O jornalista Jorge Pontual, correspondente da Globo em Nova York — brilha, por exemplo, no ótimo programa “Em Pauta” (inclusive com suas traduções de poesia), da GloboNews —, revelou, no programa “Bem Estar”, que se trata de depressão há 40 anos. Mas admite que tomou “remédios errados”.

“Eu sofro de depressão há quase 40 anos, e só agora estou tomando os remédios certos graças a um novo exame. É um teste genético que dá ao psiquiatra um perfil detalhado de 18 genes ligados à saúde mental. Descobri que justamente, durante décadas, eu tomei aqueles que não funcionavam no meu caso. Só que agora eu estou no caminho certo”, disse Jorge Pontual. Seu atual psiquiatra é Samuel Scharmat, que o repórter entrevistou para o programa da Globo.

O UOL, sintetizando a explicação do médico, diz que Jorge Pontual “se mostrou aliviado por finalmente tomar os remédios certos para controlar a depressão”.

“O resultado do teste veio com a lista dos antidepressivos que não funcionam para mim, e eram justamente aqueles que tomei durante décadas. A boa notícia é que veio também a lista dos antidepressivos que funcionam, e ela é bem mais longa. Agora que eu estou tomando o metilfolato e o antidepressivo certo, minha vida mudou, meu humor ficou estável, sem aqueles altos e baixos, em geral mais baixos do que altos, de antes. A depressão ficou sob controle”, anota Jorge Pontual.

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Luiz Carlos Mauad

Gostaria de saber se em NY faz este exame e qual prazo leva para ficar pronto. Valor do exame? Aqui no Brasiliense uma empresa que faz este exame mas tem que enviar para Espanha. É muito caro.
Obrigado
LuizfqCaM