Euler de França Belém
Euler de França Belém

J. K. Rowling deve publicar mais um livro sobre Harry Potter

A autora não esclarece se a história da cantora Celestina Warbeck, personagem de “Harry Potter”, vai ser transformada em livro

Consta que São Pedro disse que é mais fácil entrar no Reino do Céu do que a crítica Michiko Kakutani elogiar um livro de um autor popularíssimo. Verdade? Meia verdade? Não se sabe. No campo da literatura, o da ficção, a verdade é o que menos importa. O que vale é ser crível. O milenar São Pedro, ainda que menos influente do que São Paulo, o verdadeiro gênio do Cristianismo (Jesus Cristo deve tudo ou quase ao filósofo-teólogo da Igreja Católica), sabe disso tanto quanto Kakutani. Mas elogios categorizados de uma crítica do “New York Times” nem sempre tornam polpudas contas bancárias de escritores. J. K. Rowling ganhou dinheiro e se tornou uma celebridade galáctica ao publicar a série “Harry Potter” – depois adubada pelo cinema. Monteiro Lobato a deixa no chinelo, mas o brasileiro, que escreveu em português (língua que não se tornou dialeto porque Portugal descobriu o Brasil), pertence a um país que “The Economist” reluta em chamar de “grande” (na Cochinchina se acredita na independência da revista inglesa, espécie de bíblia de leitores provincianos, ainda que chiques).

Depois de publicar livros apontados como sérios – romances policiais são sérios ou entretenimento? Às vezes, as duas coisas –, Rowling deve ter percebido que venderam bem, especialmente depois que, sutilmente, deixou vazar (culpando o “coitado” de um advogado) que Robert Galbraith era, na verdade, a autora dos livros de “Harry Potter”, mas não tão bem quanto gostaria. As contas nos bancos certamente permanecem com muitas pilas, mas, como se sabe lá nas terras de Lúcifer, o irmão enjeitado de Deus, os montes começam a diminuir se não há um novo “Potter” nas estantes (coisas do passado?) das livrarias.

“La Vanguardia”, o melhor jornal de Barcelona, publica uma pequena reportagem, intitulada “J. K. Rowling publica um novo relato de Harry Potter”, da qual transcrevo trechos. Pode-se dizer, ao modo de John Updike: “Corre, Coelho, a série continua?” “Vanguardia”, que não brinca em serviço, revela o seguinte: “A escritora inglesa J. K. Rowling publicou no portal Pottermore.com um novo relato, centrado na cantora Celestina Warbeck, que amplia o universo mágico de Harry Potter”.

Citando o diário britânico “The Independent”, o jornal espanhol assinala que “a autora da exitosa saga do mago juvenil enviou uma mensagem, por intermédio do portal, no qual indica que Warbeck é um de seus personagens ‘mais queridos’”. É com certa vergonha (não chego a corar) que tenho de admitir ao leitor: vi todos os filmes da série, que são até prazerosos e não me dão sono (exceto quando já estou com sono), mas não consigo me lembrar da “Peggy Lee” do filme?

Rowling escreve: “Apresentando a feiticeira-cantora: Celestina Warbuck” (Vicente, lá do coro Celestino, deve ter ficado feliz). A autora – que escreve bem prosa de adultos, segundo a rigorosa Kakutani – acrescenta, segundo “Vanguardia”, “que sempre imaginou essa personagem parecida com ‘a cantora galesa Shirley Bassey em aparência e estilo’”. O destino da bruxa é converter-se numa estrela. Sua mãe, assim como o pai de Zezé Di Camargo e Luciano, bombardeou Hogartz, o colégio para magos, “com cartas para promovê-la”.

O que Rowling está dizendo, a nós mortais, é que há personagens na saga Potter que sobrevivem sozinhos e que, de certo modo, podem render outros livros ou, até, novas sagas, séries. Bassey não é nenhuma Billie Holiday, mas tem seus aficionados pelo mundo afora. É conectando fantasmas – bruxos, vá lá – que se faz sucesso literário nos tempos contemporâneos. Uma bruxa cantora, ainda mais parecida com Bassey e com a voz possante, por certo fará sucesso.

O texto de “Vanguardia” não é preciso e eu e os leitores do jornal não ficamos sabendo se a diatribe do site vai se tornar livro. É provável que sim. Porque Potter é o rei Midas que deu certo. O que se deve dizer de Rowling é que se trata de uma escritora das mais espertas. Potter não pode ser esquecido. É o recado que algum financista deve ter lhe enviado. Nada fantasma, pois.

5 respostas para “J. K. Rowling deve publicar mais um livro sobre Harry Potter”

  1. Daniel Melo disse:

    Ela já havia divulgado um outro conto há alguns meses sobre a vida dos personagens centrais hoje em dia. Estes textos são comuns na rede pottermore onde Rowling sempre aprofunda o universo doa personagens.
    Nao significa que ela lançará um livro novo (embora material não falte). É apenas um conto sobre uma personagem secundária.
    Sou fã de Rowling e tomei verdadeiro gosto pela leitura através de Harry Potter. Sempre gostei de ler, inclusive Monteiro Lobato. Li quase tudo da coleção vagalume. Mas só depois de Harry Potter a coisa ficou séria. Então me incomodo com textos que tentam desmerecer J.K. Rowling como a autora que ela é.

  2. Vick disse:

    Cara, sei exatamente o que você está falando. Sempre li muito, inclusive Monteiro, mas foi com Harry Potter que a coisa ficou séria. Realmente, não acho que seja correto dizer que Monteiro é melhor que ela. Eu não acho, não mesmo. J.K tem uma essência apaixonante naquelas palavras que Monteiro nunca conseguiu trazer para mim. É questão de gosto, cada um com o seu, então não acho correto um jornal vir dizer que ela é mais famosa que ele pelo seu país e língua, ou que Monteiro é muito melhor. J.K é uma escritora excepcionalmente INCRÍVEL, Harry Potter marca a minha vida desde que ganhei “A Pedra Filosofal” aos 7 anos. Monteiro também é um ótimo escritor, mas ninguém deve ser posto como melhor que ninguém, principalmente por que isso é questão de gosto.

  3. Jéssica Sthéfany disse:

    Você, como muitos outros que eu conheço, tem um problema com o Harry Potter e eu nem sei o porque, com muita sinceridade, eu tenho que admitir que o Monteiro é bom, mas vc vim dizer que ele é melhor q a J. K. e q só n é tão famoso por causa do país por favor né! Eu li todos os livros de Harry Potter imparcialmente, eu nunca tinha entendido nada dos filmes, e depois de entrar naquele universo maravilhoso eu tive que admitir que ela é um gênio. E vc não tem o direito d sair por aí falando oque ela disse e distorcendo para fazer parecer q n é bem assim, é por causa d pessoas como vc que o mundo está cheio d pessoas q dizem d filmes e livros “nunca li (vi) e nunca lerei (verei)”. Então quando for críticar vc deveria ser mais imparcial pq muitas pessoas levam em conta oq é postado em lugares como este.

  4. Leitor disse:

    Não pode comparar Monteiro Lobato com a J. K. Rowling. São épocas diferentes. Dizer que um é melhor que o outro é errado, já que eles escrevem (no caso de Monteiro Lobato, escrevia) tipos de histórias diferentes.
    Monteiro Lobato foi sim um ótimo escritor. Pra mim, os dois são igualmente excelentes.

    • Betania Moreira disse:

      Ele leu os livros dela???? Pq os filmes não chegam a 1/3 do que os livros são. Sempre gostei de ler, mas a Rowling me fez apaixonar ainda mais pela leitura. Ela é mesmo genial e a história vai se encaixando de um jeito fascinante. Li os 7 livros do Harry Potter, li também Morte Súbita, O Chamado do Cuco e Bicho da Seda e digo que, pra mim, ela se iguala a Ágatha Crhristie, que também é fantástica. Mas eu não sou nenhuma crítica de lilteratura, porém, uma leitora bastante observadora. Monteiro Lobato é maravilhoso, sem dúvida, assim como Machado de Assis (mesmo sendo estilos diferentes). Amo estes autores, mas sou apaixonada pelas histórias da Rowling.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.