Euler de França Belém
Euler de França Belém

Instituto Tomie Ohtake exibe a pintura diversificada de Pablo Picasso, o grande pintor

picasso-foto-reproducao

Artes plásticas não é o meu forte, ainda que adore pintura. Minha implicância maior, por vezes não justificada, é com os críticos, com os empulhadores, que veem tanto, mas tanto mesmo, que acabam percebendo quase nada, contentando-se com teorias, acabando por tornar uma visita ao museu ao equivalente a uma aula de anatomia para quem não é estudante de medicina. Em São Paulo, em julho, vi a mostra “Picasso — Mão erudita, olho selvagem”. Trata-se de quadros da coleção do Musée National Picasso-Paris. É para, usar uma palavra nada crítica, maravilhosa. “A coleção permite que o público consiga enxergar a intimidade do artista e seu processo criativo. A coleção abrange todas as fases e técnicas da produção do artista, possibilitando uma visão, se não exaustiva, ao menos reveladora da riqueza e diversidade”, diz o folder da mostra, com acerto.

É um deslumbre a mostra de Picasso, um pintor moderníssimo, que sabia desenhar e, claro, pintar. A mostra, que está no Instituto Tomie Ohtake, pode ser vista até 14 de agosto. Quem aprecia pintura, e não tem interesse por livros especializados, deve vê-la.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.