Diógenes Albuquerque, de 26, matou Simone da Silva, 28 anos, e, ferido nas nádegas, foi levado para o Hospital de Urgências de Goiânia. Mesmo algemado, fugiu duas vezes. É uma história que Kafka adoraria transpor para um conto. Na primeira página de sexta-feira, 3, o “Pop” publicou: “Preso foge duas vezes do Hugo e é recuperado”. “Recuperado”, diria Flaubert, não é a palavra precisa, justa.