Euler de França Belém
Euler de França Belém

Globo divulga separação de Pitt e Jolie e esquece Fátima e Bonner e encontro de ator com travestis

Globo News divulga separação litigiosa dos atores Angelina Jolie e Brad Pitt mas sonega informações sobre Fátima Bernardes e William Bonner e a história de Alexandre Borges com travestis

brad-pitt-e-angelina-jolie-brad-ange

Angelina Jolie e Brad Pitt anunciaram divórcio e a imprensa escancarou os supostos problemas dos atores, notadamente do segundo | Reprodução

Nós, jornalistas, nos protegemos. Aos outros, o Inferno; a nós, o Céu. Quando William Bon­ner e Fátima Bernardes se separaram, há pouco tempo, o canal Globo News, que pertence ao Grupo Globo, não fez nenhum estardalhaço. Como se trata de um casal famoso — William Bonner é apresentador do “Jornal Nacional” e Fátima Bernardes é apresentadora de um programa de variedades —, cuja vida privada acaba sendo de interesse público, era de se esperar que o fim de um longo casamento fosse exaustivamente comentado pela TV Globo. Qual nada: o divórcio dos jornalistas foi esquecido pela maior rede de comunicação do país, mas destacado em jornais, revistas e sites.

Divulgação

William Bonner e Fátima Bernardes | Divulgação

Agora, quando da separação dos atores Brad Pitt e Angelina Jolie, o “Em Pauta”, da Globo News, deu-lhe um destaque à beira do escandaloso. Um dos comentaristas, dizendo com um sorriso nos lábios que não gosta de fofoca, “informou” que Brad Pitt, que fatura mais do que a ex-mulher — 400 milhões contra 150 milhões de dólares (não informaram se por ano) —, teria mantido relacionamento com a atriz Marion Cotillard (a francesa nega e diz que está grávida de seu companheiro) e com prostitutas. Na imprensa em geral, contou-se que o ator bebe e fuma maconha na frente dos seis filhos (e grita com eles). Ele contrapôs: fuma maconha, mas não em grande quantidade, e bebe socialmente. Pela custódia dos filhos — Angelina Jolie quer a custódia exclusiva, não compartilhada —, é muito provável que os dois lados, no momento a atriz está no ataque (como Mia Farrow, nos processos contra Woody Allen), vão digladiar na Justiça e na imprensa, com assessores e advogados fornecendo informações, verdadeiras ou não, para piorar a imagem pública dos contendores. Angelina Jolie, o “médico”, está no ataque contra Brad Pitt, o “monstro”. Mas isto não vai durar para sempre: cada tem um tem o seu porão, e nem sempre limpo.

Por que o Grupo Globo escancarou a separação e o porão das baixarias de Brad Pitt e Angelina Jolie e escondeu o divórcio de William Bonner? Primeiro, para proteger dois de seus funcionários. “Os nossos”, como se diz no meio jornalístico. Segundo, porque estando longe, os atores de Hollywood não vão mover processos judiciais contra publicações brasileiras. Por isso, Eliane Cantanhêde, Jorge Pontual e Bete Pacheco puderam rir à vontade das confusões dos brigões. Mas jamais ririam publicamente de um colega.

Alexandre Borges

Na semana passada, o jornal “O Dia” divulgou imagem do ator Alexandre Borges com um travesti no colo e, em seguida, divulgou um vídeo. Quando o ex-craque Ronaldo Fenômeno se envolveu com um travesti — o ex-jogador negou o envolvimento —, a Globo destacou a notícia. Porém, quanto ao seu funcionário, uma estrela de suas novelas, a maior rede do país moitou e não divulgou nada. “O fato não existe” — é a senha, digamos.

Depois da publicação da história, na coluna de Leo Dias, de “O Dia”, Alexandre Borges decidiu se manifestar, até por que sua imagem é de galã heterossexual.

O ator admitiu o encontro com dois travestis — não havia como desmentir as imagens — e disse numa entrevista ao jornal “Extra!” (do Grupo Globo): “Não houve nenhum tipo de relação sexual, orgia e consumo de cocaína. Devido ao vídeo feito sem meu conhecimento e divulgado na internet indevidamente, me vejo forçado a esclarecer alguns pontos que, a meu ver, foram distorcidos e ampliados. Foi um encontro casual com três pessoas depois de uma festa”. De fato, a imagem mostra apenas um travesti sentado no seu colo e, aparentemente, dando-lhe um beijo e, depois, outro travesti se aproximando. Os dois conversam e fica-se com a impressão de que não se entenderam, a respeito do quê não se sabe. Mas Alexandre Borges não é nenhum ingênuo para deixar de perceber que vídeos e fotos, em tempo de internet, são feitos para serem guardados e não para serem divulgados.

Reprodução

Reprodução

Ponderado, Alexandre Borges sublinhou que não vai processar nenhuma pessoa e garante que, apesar da repercussão da história, não se sente abalado. Como várias pessoas questionaram sua sexualidade nas redes sociais, o ator frisou: “Minhas opções são claras para mim, quando percebi que não queria mais continuar, encerrei”. Suas palavras são enigmáticas, embora ele esteja sugerindo que está esclarecendo o que aconteceu. Ele quis dizer que, no lugar de sexo — que é mais amplo do que se entende por relações sexuais —, estava se divertindo com os travestis? É possível. Quando não quis mais brincar, algo assim, encerrou tudo.

Alexandre Borges, como qualquer outra pessoa, tem direito de fazer o que quiser de sua vida e com sua imagem. O encontro com os travestis não prejudica em nada o ator — exceto, quem sabe, sua imagem de conquistador de mulheres, se isto é um fato — e, sobretudo, não prejudica em nada a sociedade. Na verdade, a imagem mostra adultos se divertindo, de maneira libidinosa e experimentando a diversidade da vida sexual (o que, a rigor, nada tem de feio; é até belo), mas não há nada de grave nas cenas.

Se o “Extra!” deu as explicações de Alexandre Borges, mas dando cobertura ao fato só depois da publicação do vídeo pelo jornal “O Dia”, a TV Globo e a Globo News ignoraram-no olimpicamente. Optaram exclusivamente por divulgar o “escândalo” da separação de Angelina Jolie e Brad Pitt. O Inferno, para o Grupo Globo, são os outros.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.