Cezar Santos
Cezar Santos

“Folha de S.Paulo” admite que avalizou acusação a Michel Temer sem ouvir áudio

Jornal registra que se baseou apenas em interpretação da PGR sobre suposta compra de silêncio de Eduardo Cunha

O jornal paulistano “Folha de S.Paulo” admitiu, em nota na noite dessa quarta-feira (31/5), que errou ao noticiar como fato uma interpretação da Procuradoria Geral da República, segundo a qual o presidente Michel Temer (PMDB) fora gravado pelo empresário goiano Joesley Batista dando aval à “compra do silêncio” do ex-deputado Eduardo Cunha.

“A tese de aval para a compra de silêncio é uma interpretação da Procuradoria Geral da República, usada para pedir a abertura de inquérito contra Temer”, afirma a o jornal, revelando, afinal, quem esteve por trás da informação que dava como certo o que o áudio não confirma, ou seja, o aval do presidente à “compra do silêncio” do ex-deputado.

A “Folha” lembra que após o exame do áudio, divulgado no dia seguinte, 18 de maio, publicou matéria afirmando que o áudio era “inconclusivo”.

A publicação da matéria “Folha errou em reportagem sobre áudio de Temer” é fato histórico, ainda que o jornal tenha por hábito publicar correções de seu conteúdo quando constata equívocos.

O mea-culpa da “Folha” é auspicioso do ponto de vista jornalístico, em meio à controvérsia do áudio gravado pelo empresário goiano como estratégia para fazer com a PGR um acordo de delação premiada altamente favorável a ele e o irmão Wesley

Após a divulgação do áudio, a própria “Folha” contratou um perito para analisá-lo, e este identificou ao menos 50 edições.

A correção da “Folha” pode ser vista no link http://www1.folha.uol.com.br/poder/2017/05/1889173-folha-errou-em-reportagem-sobre-audio-de-temer.shtml

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.