Euler de França Belém
Euler de França Belém

Físico nuclear Arthur Otto denuncia sectarismo do editor da coluna “Giro”, Jarbas Rodrigues

Diretores de O Popular não comungam com sectarismo de Jarbas Rodrigues

Arthur Otto

A Marcha da Liberdade, liderada por jovens idealistas Kim Kataguiri, Renan Santos e Fernando Holliday, saiu de São Paulo no dia 20 de abril e marchará até Brasília, onde chegará no dia 27 deste mês, e entregará um pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

O objetivo desta caminhada de quase 1200 km é conscientizar a população da necessidade do apoio de todos a este pedido de impedimento da presidente, cujos motivos são muitos e conhecidos por todos e não é necessário elencá-los.

A Marcha é notícia nos jornais mais importantes do mundo, como “El País”, “The Guardian”, “Paris Match”, “New York Times”. Ontem (21/05), quando acompanhava a saída da Marcha de Goiânia, vi o assessor de imprensa da marcha receber telefonemas de diversos correspondentes estrangeiros. Eles entraram em Goiás no dia 14/05 através de Corumbaíba, onde foram recebidos por algumas instituições, entre elas a Maçonaria. No dia 16/05 estavam em Caldas Novas.

Ajudando na agenda e divulgação da Marcha da Liberdade em solo goiano, mandei o roteiro e fotos do grupo para diversos jornalistas, entre eles o jornalista Jardas Rodrigues, titular da coluna “Giro”, de “O Popular”, que não se dignou a dar uma nota sequer da Marcha que com certeza entrará para a história do Brasil.

Em sua passagem por Goiânia, o grupo de São Paulo e outras cidades do Brasil teve a ideia de colar cartazes, os antigos lambe-lambes pela cidade, pedindo o impeachment da presidente. A colagem destes cartazes é permitida pela legislação da capital paulista. Sem saber que nossa leis municipais não permitem esta colagem foram fotografados colando lambe-lambe no Parque Vaca Brava pelo fotógrafo de “O Popular”.

O jornalista Jarbas Rodrigues, que apesar de ter recebido fotos da Marcha em solo goiano e não ter se dignado a escrever uma linha sobre o assunto. resolve no dia no 21/05 estampar a foto do grupo colando cartazes com o título de poluição ambiental com o intuito único e exclusivo de negativar a passagem da Marcha por Goiânia.

Realmente pela nossa legislação municipal o ato é considerado poluição ambiental. Agora a conduta do jornalista foi sectária, parcial e mesmo partidária no tratamento dado à passagem da Marcha da Liberdade, respeitada pela imprensa do mundo todo, pelo solo goiano.

É inexplicável o comportamento do titular da coluna “Giro” de “O Popular”. Fui contemporâneo, convivi e ainda tenho relações cordiais com a maior parte dos diretores da organização Jaime Câmara e sei que eles não comungam com o sectarismo e partidarismo do jornalista Jarbas Rodrigues, titular da coluna Giro.

Arthur Otto é físico nuclear.

3
Deixe um comentário

3 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
3 Comment authors
Djalma

Lendo a matéria vejo porque o jardas não escreveu uma única linha.

Deolinda Taveira

Talvez o jornalista do POP não esteja com vontade de pactuar com a “marcha” e tenha concluído o mesmo que outros que fizeram as contas. http://www.diariodocentrodomundo.com.br/as-contas-mostram-que-na-marcha-da-liberdade-quem-anda-mesmo-sao-os-carros-e-o-onibus-de-apoio-por-leandro-fortes/

Fernando Contart

“Sem defesa”…é o direito dele de não dar a nota solicitada…quanto ao mesmo ser taxado de sectarista ,não discordo,especialmente ao Gov de GO.