Período sabático era desculpa para pressionar por aumento salarial. Volta será difícil, senão impossível

Depois de 14 anos na bancada do Jornal Hoje, apresentador Evaristo Costa disse “não” à renovação de contrato

O que se comenta, nos bastidores da TV Globo, é que Evaristo Costa, ex-apresentador do “Jornal Hoje”, queria receber um salário, não igual, mas próximo do de William Bonner, apresentador e editor-chefe do “Jornal Nacional” — alegando que era “popular” e “querido” pelos telespectadores.

A estrela máxima do telejornalismo da rede líder fatura quase 2 milhões de reais por mês — o que o economista francês Thomas Piketty, autor do livro “O Capital no Século XXI”, qualifica não mais como salário, e sim como retirada de acionista. Evaristo Costa, profissional em ascensão, recebia bem menos. A Globo teria pedido tempo, sobretudo porque cogitava prepará-lo, para daqui a alguns anos — cinco ou dez —, substituir William Bonner como apresentador do “JN”. O estilo empático, sorridente, de Evaristo Costa contrasta com o jeitão meio carrancudo de William Bonner. Seria um nome para os novos tempos, que estão chegando.

Por ter uma poupança polpuda, Evaristo Costa teria feito a proposta e pagou para ver. A Globo decidiu não aceitá-la e aí, sem saída, o jornalista teria apresentado a história de um período sabático no exterior.

A imagem de Evaristo Costa teria ficado negativa, apesar dos salamaleques públicos, porque teria deixado a Globo na mão. Queridinho de Ali Kamel e de Merval Pereira, por sua identificação com a Globo, Dony de Nuccio teria sido “inventado” às pressas para substitui-lo.

Uma coisa estaria preocupando a cúpula da Globo. Mes­mo pagando os melhores salários do mercado, o grupo controlado pela família Marinho não está conseguindo segurar alguns de seus melhores profissionais, que alegam rotinas estafantes ou contratos de trabalho “draconianos” (exclusivamente absoluta, por exemplo). Mara Luquet, uma das jornalistas que mais entendem de mercado financeiro, deixou a Globo News para trabalhar no Bradesco.