Euler de França Belém
Euler de França Belém

Estupidade: Vício Inerente não entra em cartaz e Vingadores é exibido em 24 salas de cinema de Goiânia

“Vício Inerente”, filme de Paul Thomas Anderson, com Joaquin Phoenix e Josh Brolin, não entrou em cartaz nos cinemas de Goiânia. É provável que nem entre, ou, se entrar, fique apenas uma semana, se ficar. Quem aprecia cinema de certa qualidade não deve ter apreço algum pelos programadores de filmes da capital construída por Pedro Ludovico. O “filme” (reluto em pôr aspas, mas, depois de consultar os críticos de cinema Iúri Rincon Godinho e Adalberto de Queiroz, decido colocá-las) “O Vingadores 2 — Era de Ultron”, dirigido por Joss Whedon (será que alguém precisa dirigir uma joça dessa?!), será exibido em 24 salas de cinema da cidade! Duas exclamações num texto de jornal não pegam bem. Ora, o que não pega bem é exibir um filme deste naipe em tantas salas. É uma verdadeira ode à estupidade, diria Mário de Andrade.

O crítico e cinéfilo Lisandro Nogueira, que entende de cinema, não diz nada, não faz nenhum protesto. Espero que o André Lcd, o Marcelo Franco, o Ademir Luiz, a Candice Marques, o Arthur de Lucca (autor do livro jamais escrito “Porque o Cinema Não é Arte”) e o Danin Júnior, vingadores da arte, saquem suas armas e comecem uma “vingança” urgente.

Os jornais não vão protestar. Estão paralisados.

3
Deixe um comentário

3 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
Adalberto De Queiroz

Caríssimo Mr. DE FRANÇA, O cinema acabou. Viva o Cinema. “Filmes” são o que mais importam aos negociantes do cinema. Filmes, películas, movies são para os que amam essa forma de narrativa. Arte ou não, 7a., 8a., 10a…. Pessoalmente, não perco muito mais tempo com a sala escura. Lembrei-me agora do Francis dizendo que preferia ir à ópera (ou segundo a Sonia Nolasco – Sra. Francis, ouvia e cantava ópera…em casa, graças ao VCD-DVD etc.). Raramente, pois, olho a página de programação de filmes. No Netflix, jogo dinheiro fora, porque tem muito poucos filmes em pxb ou coloridos de que… Leia mais

Fabrício Cordeiro

Euler, o problema não é qual tipo de filme domina as salas de exibição (embora sejam sempre blockbusters, por razões óbvias), mas sim que um único filme domina as salas de exibição a cada mês.

Vingadores entrando em 24 salas de Goiânia (inclusive com alguns complexos aparentemente descumprindo a limitação de salas fixada pelaANCINE – Agência Nacional do Cinema desde o começo do ano) é sem dúvida algo terrível, mas também seria péssimo se Vício Inerente ocupasse 24 ou mais salas.

Fabrício Cordeiro

Euler, o problema não é qual tipo de filme domina as salas de exibição (embora sejam sempre blockbusters, por razões óbvias), mas sim que um único filme domina as salas de exibição a cada mês.

Vingadores entrando em 24 salas de Goiânia (inclusive com alguns complexos aparentemente descumprindo a limitação de salas fixada pela ANCINE desde o começo do ano) é algo terrível, mas também seria péssimo se Vício Inerente ocupasse 24 ou mais salas.