O “Estadão” demitiu na segunda-feira, 6, um dos mais respeitados repórteres da imprensa brasileira, Lourival Sant’Anna.

Formado pela Universidade Federal de Goiás, Lourival Sant’Anna passou uma temporada na Inglaterra e, em seguida, se tornou repórter, editor-executivo e, atualmente, repórter especial de “O Estado de S. Paulo”.

Lourival Sant’Anna é brilhante por vários motivos. Dois deles: sua seriedade como repórter é exemplar e escreve muito bem (com livro publicado).

Sem a pretensão de fazer jornalismo literário, suas reportagens são geralmente mais densas, aprofundadas e, sem pieguice ou melodrama, “humanas”. No “Estadão”, com mais liberdade (e mais espaço) para escrever, desenvolveu seu imenso talento de contador de histórias, de olhar amplamente perceptivo, avesso a clichês.

Notabilizado por suas coberturas internacionais, por exemplo no Oriente Médio, dificilmente Lourival Sant’Anna ficará fora do mercado por muito tempo.

O repórter é irmão da ex-deputada Marina Sant’Anna, do PT. Curiosamente, nos últimos tempos, Lourival Sant’Anna se tornou mais crítico do PT.