Euler de França Belém
Euler de França Belém

Editora Nova Fronteira lança dois livros com um capítulo idêntico. Escritor plagiou filósofo?

O problema está nos livros “Prazeres Ilimitados”, do filósofo Fernando Muniz, e “Pecar e Perdoar”, do escritor Leandro Karnal

PRAZERES ILIMITADOS

A Nova Fronteira está no olho do furacão. A editora publicou dois livros diferentes, mas com um capítulo idêntico. Como não se pronunciou, não se sabe se um autor plagiou o outro. O artigo “Dores góticas, volúpias privadas” saiu nos livros “Prazeres Ilimitados”, do filósofo Fernando Muniz, e “Pecar e Perdoar”, de Leandro Karnal. O ensaio discute a dor e o prazer.

O livro “Pecar e Perdoar”, segundo a rádio CBN, saiu primeiro do que “Prazeres Ilimitados”. Mas Fernando Muniz garante que é o autor do texto. Ele promete, se necessário, tomar medidas judiciais. Leandro Karnal não se pronunciou.

Menos mal se foi um erro da editora, e não de um dos autores. Porque, se foi de um dos autores, trata-se de plágio dos mais descarados.

PECAR E PERDOAR

Apropriação completa do texto

Carlos Fernando Mathias, jurista e integrante da Associação Nacional de Escritores, disse à CBN que não se trata “de plágio simples”, porque “houve uma apropriação completa do texto”.

O copiado, se recorrer à Justiça e provar a autoria, pode ser indenizado. “Então, tem que saber quem é o autor, quem teve sua obra apropriada. Como o autor vai provar? Pelos meios de prova, seja testemunhal ou documental. Em Direito, dizer e não provar equivale a não dizer”, sublinha Carlos Fernando Mathias.

O mais provável, notadamente se o erro for da editora, será retirar o livro com o texto copiado das livrarias e lançar outra edição.

Deixe um comentário